segunda-feira, outubro 09, 2006

O "caso" da mão quebrada

Este "caso" foi na L&M, logo depois de uma das viradas homéricas, tão comuns naquela agência. E aconteceu entre o Artur Denegri e o Mozart dos Santos Mello (o M de L&M). Artur Denegri, pra quem não conhece, é um diretor de arte. Trabalhei com ele na L&M e, depois, na DM9 lá em Salvador, cidade aliás em que ele se estabeleceu em definitivo.

Mas o negócio todo começou porque o Denegri, após a tal virada na agência, resolveu ir jantar com a turma do estúdio. Até aí tudo bem, porque afinal de contas isso era mais ou menos praxe. Afinal, a turma saia de madrugada, cheia de fome.

No dia seguinte, pela manhã, Mozart dos Santos Mello chama o Denegri na sala dele. E começam uma discussão por causa de pequenos detalhes acerca da nota do jantar. Do tipo: “...mas porque lagosta?”

O bate-boca começou a tomar ares exaltados e proporções agigantadas. Começou mesmo a provocar um reboliço na agência inteira tal o nível e a altura em que ele estava. O pessoal começou a se acotovelar nos corredores, nas proximidades das salas da diretoria. Um auê danado.

Em determinado momento, o Artur ergue o peito – ele fazia musculação, e além de tudo era invocadinho pra dedéu -, encara o patrão e diz: "... porque eu sou é homem!" Ah, pra quê! Mozart dos Santos Mello levantou também - até então estivera sentado - e, aceitando o desafio, ergueu o braço e respondeu de uma tacada só: "Eu também !!!", aos berros. Niqui desceu a mão sobre a mesa, com toda a força, a L&M em peso ouviu aquele grito de dor.

Moral da história: Santos Mello passou algumas semanas com a mão enfaixada.

2 comentários:

Rodrigo Franco disse...

Jonga,

Tava passeando pelo Google tropecei no teu blog. Gostei muito de seu blog e dos casos lusitanos. Eu mesmo, que tenho pouco mais de 5 anos de propaganda já fiz até obituário! É o que faz da nossa profissão escrava da máxima "Ame-a ou deixe-a".

abraços,

jonga disse...

Meu caro Rodrigo,
Fico feliz de encontrar um novo leitor. Ainda tenho muitos casos a colocar no blog.
Espero que continue gostando.
Jonga Olivieri