quinta-feira, outubro 26, 2006

O "caso" do casaco

A Doctor era uma agência muito louca. Às quatro da tarde, invariavelmente começava a rolar uísque, tequila, pinga...

Sexta-feira, o Serjão voltava do almoço na “Estrela do Sul” tão tocado que descarregava um ou mais extintores de incêndio pelas salas. Um dia, trocou o extintor e molhou vários computadores. Foi um estrago.

“Peidão”, “puf” e outras coisas, me remetiam aos tempos de colégio. No final das contas, que era divertido, lá isso era. Adolescente demais, mas, inegavelmente divertido.

Todo mês, o “Porcão”, uma das principais contas da agência, mandava pra lá um churrasqueiro e rolava aquele happyhour regado a muita cerveja, uísque, tequila... Na Copa de 98, todo jogo foi acompanhado dessas churrascadas memoráveis.

A agência possuía várias contas de varejo, principalmente as de revenda de automóveis. Por isso mesmo, nunca a gente conseguia sair para almoçar numa hora mais ou menos normal. Eu me lembro que queria marcar um almoço com amigos de outras agências e não era possível, porque geralmente meu horário de folga só acontecia lá pelas três, às vezes quatro da tarde.

Um belo dia, estava eu colado no meu Mac com trabalho demais. E a turma da minha sala começou a fazer uma guerrinha de fósforos. Era chama voando pra cá e pra lá num frenesí incandescente.

Senti um cheirinho de fogo mais forte. Sem muito tempo, olhei rapidamente em torno e não vi fumaça. “Deve ser o excesso de fósforos no ar”, concluí. Mas, eis que de repente, senti também um calorzinho no lado esquerdo. Quando olhei, meu casaco novinho estava pegando fogo bem no bolso. Foi um puta dum susto. Enquanto eu retirava o casaco do corpo apressadamente, a galera rolava no chão de tanto rir. Foram momentos terríveis, mas, admito que deve ter sido muito engraçado. Claro que pra quem não estava pegando fogo.

Pelo menos escapei com vida!

3 comentários:

redatozim disse...

Aí vai um trocadilho horrendo. Peço perdão adiantadamente, mas por causa desse incidente você deve ter ficado meio "queimado" na agência, né?

Desculpe, já me arrependi. Ciao.

Jonga Olivieri disse...

O pior é que a agência é que se "queimou" definitivamente comigo. Nào que eu tenha levado a ferro e fogo, mas é que foi a gota d'água num copo cheio. De gasolina, óbviamente.

Mônica disse...

Não sei o que foi mais engraçado, o "caso", o fogo no casaco, ou o comentário do Maurilo. Vocês dois são impossíveis.

beijão.