segunda-feira, janeiro 29, 2007

O “caso” da estagiária

Agência grande tem alguns probleminhas. Um deles é a quantidade de estagiários que pintam. Vá lá, quando o dito cujo tem talento, é bom. Quando não tem, é um saco só de ficar imaginando que aquela figura vai ficar pelo menos uma semana na sua sala, e você terá que aturar; porque afinal de contas, geralmente são filhinhos de clientes importantes.

Na Salles era assim. Os mais de dois anos que passei naquela agência, posso contar nos dedos os dias em que ficamos sem um estagiário na sala.

Haviam aqueles que somavam. O Valois foi um exemplo. Ganhamos até um prêmio com um anúncio para a Souza Cruz. Posteriormente chegamos a formar uma dupla.

A Bebel, sobrinha do Mauro Salles, foi outro exemplo de uma estagiária motivada. Tanto que anos depois, tive uma reunião na Mesbla Móveis e ela estava lá, como diretora de marketing.
Mas tinham as garotinhas vazias, que às vezes salvavam-se por serem pelo menos um colírio para os olhos. E pior, os garotinhos mimados, que nem isso eram.

Lembro-me de uma delas (não me recordo do nome), que era uma gracinha, menina linda. Mas quando falava tinha a língua presa, o que quebrava todo o seu encanto.

Um dia surgiu a Beth. Uma graça de estagiária. Ao mesmo tempo, revelou-se logo excelente. Participativa, curiosa, produtiva. Tudo na medida certa, sabendo o seu lugar na engrenagem.
Ficou uma semana conosco.

Lá pela metade de sua estadia, fiquei sabendo uma coisa sensacional. Ela era filha de Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim. Isso mesmo: filha do Tom Jobim... vê se pode !?
Num desses dias em que passou na nossa sala, a Beth foi almoçar conosco. Eu não agüentei, virei pra ela e disse:

- Olha Beth... você está fazendo estágio com a gente... tudo bem... mas, na verdade eu vou lhe pedir uma coisa... será que você se importa?

Fiz uma breve pausa, respirei fundo e continuei:

-Posso colocar isso no meu currículo?

6 comentários:

Redatozim disse...

hahahahaha muito boa, Oliva. O Tom era tão foda que até família o cara fazia bem.

Jonga Olivieri disse...

Procê ver, redatozim.
Alguns anos depois, estava eu a assistir um especial do Tom , na Globo, e lá estava a Beth, no coral.
Mas, a menina també fez a capa do disco Passarim...

JR disse...

Este caso é muito bom.
Aliás a Beth Jobim também. Hehehe
Eu digo isso porque também a conheci.
Seu fã incondicional.

Jota Erre

Jonga Olivieri disse...

Beth é uma excelente pessoa.
Depois do período em que fez estágio na Salles, não a vi mais.
Mas, jamais posso me esquecer do momento em que soube que a filha do Tom estava fazendo estágio comigo.

Valois Corrêa disse...

Jonga, aqui é o Valois. Tudo bem, meu irmão? Só pra lembrar: fui contemporâneo da Beth no estágio. Vou botar essa informação no meu curriculum também........rsrsrsr. Aliás, a publicidade perdeu uma bela, em todos os sentidos, diretora de arte. Grande abraço.

Jonga Olivieri disse...

Graaande Valois,
Ai, cacête, onde está você?
Desde que saí da Agência 3 não tenho notícias suas.
Faz o seguinte, manda um comentário para o blog, que, eu prometo não vou postar. E manda o seu e-mail.
Nem sabia que você era leitor do "casos..."
Gde abraço,
Jonga