terça-feira, janeiro 02, 2007

O "caso" do papo no Garden

Era dessas tardes de domingo, em que não se tem muito o que fazer. Aliás, existe coisa mais chata do que uma tarde de domingo? Bom, o certo é que às vezes, a gente sem querer acerta um desses programinhas, que ficam até agradáveis, apesar do dia. Foi o que aconteceu naquela tarde. Toninho Lima, eu, e respectivas famílias, comendo pizza no Garden. O certo é que nós estavamos lá, papo vai, papo vem - o negócio em tardes de domingo é jogar papo fora pra ver se o dia consegue passar menos dolorosamente -, e, eis que surge o Pedrosa. Naquele tempo, o Garden tinha uma mureta aberta e um toldo.

O Pedrosa passou ali. Ele também nos viu e começamos a conversar. E a dita conversação estendeu-se por, sei lá eu, talvez uns cinco, seis minutos. A verdade é que estava agradável. O Pedrosa com aquele seu jeito desligado, encostado na mureta do Garden, a cinza despencando de seu cigarro. Ele acende o cigarro, e apaga algum tempo depois. De resto, deixa a cinza cair. De repente, incomodado pelo fato do Pedrosa estar de pé ali fora do bar, o Toninho virou-se para ele e disse:

- Pô, bicho, entra e senta com a gente na mesa...

- Ih, é mesmo. Quer dizer... eu estava aí dentro com o meu pessoal e fui comprar cigarro. Bom, deixa eu entrar e ficar com eles. Respondeu o Pedrosa esboçando um sorriso.

Grande Pedrosa...

4 comentários:

Anônimo disse...

É como vc está levando um layout pro diretor de criação e para pra falar com uma atendimento no caminho. Depois acaba se esquecendo e acha que mostrou o material. Ah, esses cabecas de vento.

Jonga Olivieri disse...

O Pedrosa, sem dúvida um dos mais brilhantes criativos que conheci em toda a minha vida, é uma pessoa extrememente distraída. Talvez até por sua genialidade assim o seja. E, realmente, isso é folclórico no mercado do Rio.

Anônimo disse...

Tem o caso do Einstein.
Uma vez ele se encontrou com um grupo de alunos no campus da universidade.
Papo vai, papo vem, lá pras tantas um dos alunos pergunta se ele já havia almoçado.
Einstein olhou vagamente e perguntou: "Eu estava vindo de lá ou indo pra lá?".
Os alunos responderam que ele estava vindo de lá.
Daí ele disse: "É, então eu já almocei".

Anônimo disse...

Essa do Einstein eu conhecia como sendo de um professor de Ouro Preto e resolvi usar num caso do meu próximo livro. Como não tem direito autoral, tá valendo.