quinta-feira, março 01, 2007

O “caso” do óbvio ululante

Uma vez, já há alguns anos atrás, eu trabalhava na Contemporânea e aquela agência estava com a conta da Cultura Inglesa. Era tarde da noite, e no dia seguinte tínhamos que apresentar um anúncio para os 50 anos daquela entidade de ensino. Detalhe: a verba era uma “titica”, e só cabiam nela um anúncio e um spot de rádio. Televisão, nem pensar!

Caiu na minha mão um livreto. Era realmente um livreto tamanho pocket, com poucas páginas. Precisando relaxar, eu o devorei. E vibrei. Pouco depois saia a solução para o anúncio. Uma solução óbvia. Tão simples. Tão direta. O anúncio era a foto de um bolo inglês, aquele bolinho pequeno que vem com um invólucro de papel (tipo o de brigadeirro, só que maior), um palitinho espetado nele com a Union Jack, a bandeira da Grã Bretanha.

Além disso, o bolo seria distribuído nas unidades da Cultura, como brinde, no dia do aniversário. Olha, foi um sucesso! Choveu gente. Todo mundo querendo bolo inglês com bandeirinha espetada. Uma promoção barata, com uma verba que só dava para um anúncio de um quarto de página nos jornais e um spot de 30 segundos anunciando o evento.

Tudo graças ao Adams Óbvio*. As boas idéias geralmente são simples. Além do mais, podem ser também bastante óbvias.

(*) Minha amiga Sumire Mulero, de São Paulo me enviou o livro em PDF. Ao agradecer à sua remessa tão preciosa, mandei um texto muito parecido com o que está acima, agradecendo e contando a influência que este livro teve sobre um trabalho que eu desenvolvia. Ela sugeriu que eu deveria colocá-lo no blog. Obviamente o postei.

14 comentários:

Sumire disse...

Puxa, Oliva... Bem que eu queria ter esse poder de obviedade que a maioria dos bons diretores de criação têm... rs... Talvez não tivesse largado a área... rs...
Bom, ótimo "causo"... Que bom que eu te enviei o arquivo pra fazê-lo relembrar dele... Bjo!

Jonga Olivieri disse...

Su,
Mas, acho você uma pessoa criativa.
Pela maneira de observar e comentar as coisas dos tempos em que convivemos.
Fora as suas criações em camisetas, etc.
Quanto ao gostar de escrever. Sempre gostei.
Virei diretor de arte porque sempre gostei de desenhar. E qdo entrei para a área era necessário ter um conhecimento disso.
Agora, escrevo. escrevo mais do que muitos redatores "preguiçosos" que tem por aí.
Um Maurilo, é raro. Redator que arregaça as mangas e vai pra labuta.
É isso aí...

isabella disse...

Deve ser um livro interessant este do Adams Óbivious. E deve ser bom mascando chiclete he he he he

angel disse...

Jonga,
Olha, vou te contar. Essa sua historinha é muito interessante.
Como é que pode?
Foi sorte que você deu de ter caido este livro no dia em que estava com um problema desses.
Têm coisas que graças a Deus, acontecem na hora agá.
Bjs

Jonga Olivieri disse...

Respondendo às duas.
Primeiro: Bel, que trocadalho!
E relamente acho que foi sorte ter aparecido aquele livreto no dia, ou melhor, na noite da pauleira.
Mas, valeu.
Foi pensando no óbvio que me veio à cabeça a idéia de bolo de aniversário. E por que não inglês!

Redatozim disse...

Uma vez nós presenteamos uns clientes da RM Sistemas com um livrinho do Adams Óbvio. Lógico que li. É realmente uma peça bem bacana.

Jonga Olivieri disse...

É muito bacan sim.
Independente da utilidade que teve para mim.
No caso do exemplar anterior, nunca mais o vi. Alguém na agência o levou.
Mas. a Su, grande Su, me mandou o PDF.
Se vc quiser eu lhe envio. É só pedir.

jr disse...

Ontem não pude, por razões técnicas entrar em contato com este blog. Mas, estou aqui de novo, atento. Muito bom este negócio do Obvious. Gostaria de ler esse livro.

Jonga Olivieri disse...

Se quiser o livro manda o seu e-mail que eu envio o PDF.

silvia disse...

Amei este livro, ou livreto, com você falou.
Estou louca de curiosa.
Será que você pode me enviar por e-mail>
Fico agradecida.

Jonga Olivieri disse...

Vou mandar, Silvia.
Garanto que você vai gostar. Afinal este livro não é só para publicitários.

Anônimo disse...

Eu até esqueci o que ia comentar aqui, de tanta curiosidade em saber do que se trata o livro.

Jonga Olivieri disse...

Vou mandar PC.
Falar nisso, você que andava meio sumido, viu o "cas"' da velha richa?
Pois bem, você havia pedido e eu publiquei este caso sobre a briguinha entre criação e atendimento.

Jonga Olivieri disse...

Olha, este livro realmente bate recordees de curiosidade.
E o melhor é que todo mundo que lê, descobre alguma coisa de útil nele.
Este, eu "ricomeindo", como diria o Emerson Fitipaldi num comercial...