quarta-feira, maio 02, 2007

O "caso" do ouro ao bandido

Era uma época em que a gente saia do trabalho, e, principalmente às sextas-feiras era lei, a turma não só bebia como às vezes amarrava um puta dum porre. Dificilmente ia para casa direto. Sempre tinha um boteco à nossa espera, com o garçon ostentando aquele belo sorriso com cifrões brilhando nos olhos.

Os locais preferidos eram o Aurora, o Botequim e alguns no centro da cidade, perto do trabalho, como o Villarino. Mas, de vez em quando reunia-se uma galera maior e a gente acabava no Bar Lagoa.

Um dia, a galera toda enchendo a cara, eu estava visivelmente preocupado. Notando isso, o Favilla me perguntou qual a razão daquela preocupação. Eu respondi que era minha mulher, que detestava quando eu chegava em casa meio tocado. Ih, o tempo fechava mesmo! Ela nunca se incomodou com o fato de sair com a turma. Não, não era “ciuminho”. O fato é que bebedeira a incomodava mesmo.

O Favilla me escutou atentamente. E sugeriu que saindo dali, nós fossemos até a minha casa, e eu procurasse entrar com toda a naturalidade do mundo. Ele, inclusive me acompanharia para dar uma força.

E assim o fizemos. Coloquei a chave na porta, abri e dei de cara com ela. Soltei então a frase que faz o Favilla até hoje rolar de rir toda vez que se lembra:

- ESTOU BÊÊÊBADOOO!

Entreguei o ouro ao bandido sem razão nenhuma. E juro que nunca entendi o porque, depois de todo aquele papo. Ou será que tem que se entender um bêbado?

5 comentários:

Redatozim disse...

Pelo pouco que eu conheço da Virginia, ela mesma deve ter morrido de rir depois.

Jonga Olivieri disse...

Claro. Aliás, não tem quem tenha presenciado o fato que não morra de rir com ele.
Foi tudo combinadinho, direitinho, e o "bebum" aqui dá uma dessas.
Só rindo.

PC disse...

Grande Jonga, estou de volta ao seu blog, e nada como recomeçar a leitura com um caso desses, muito bom!!

Abraços.

Jonga Olivieri disse...

Obrigado PC. E... bem vindo.

Anônimo disse...

Simplesmente impagável. Toda mulher detesta ver o marido bebado. Isso é tão certo como irem ao banheiro em bando
O.