quinta-feira, setembro 06, 2007

O “caso” da soneca produtiva

O primeiro caso (espero que de muitos) de Mariflor Rocha a primeira colaboradora deste blog.

Como revisora, me lembro de poucas vezes em que participei de reuniões com o pessoal da criação. Estava sempre com a turma na pizza da madrugada, nunca na hora do começo do trabalho.

Porém, a VS fervilhava, e um novo projeto, muito grande, envolvendo pesquisa, tinha sido encomendado. Lula resolveu reunir todo mundo, produtor gráfico, dupla, atendimento, e, pasmem, a revisora para desenvolver um plano de trabalho.

Já haviam me contado que nas reuniões de vez em quando ele dava umas cochiladas... (Isso também foi antes da cirurgia de redução do estômago.) Mas eu não estava preparada para o que vi.

A reunião rolando, muitas discussões sobre quem faria o que, o Lula dando palpites o tempo todo. De repente, olho pra cabeceira da mesa e ele está dormindo! Roncando e tudo! Pensei que a vaca tinha ido pro brejo, quando, tão de repente como tinha dormido, ele acorda e continua participando da reunião.

Detalhe: ele cochilou alguns minutos e retomou a reunião exatamente no ponto em que estava. Ou seja, parecia que ele tinha participado de tudo! Sempre gostei muito dele, mas, depois dessa, virei fã. O cara criava até dormindo!

P.S. Como as outras pessoas já estavam habituadas com esse costume do Lula, nem reagiram à "soneca"...

12 comentários:

Redatozim disse...

Puzzarella! Parece o Piquet que dormia no carro antes da corrida. Bom, se bem que era "antes" e não "durante" como no caso do Lula.

Anônimo disse...

Mas, dormir durante uma reunião? E o que é pior, roncar. Caramba. Ainda bem que não era uma partida de Pocker. Se dormir, sifu.
Otávio

Jonga Olivieri disse...

Redatozim, eu peguei demais essas situações. E, detalhe: roncava mesmo. Aliás, muitas vezes nem notávamos e ouvíamos o ronco.
Alguns, menos habituados, riam ou ficavam desconcertados. Deve ter sido o que aconteceu com a Mari.
Eu por meu turno já achava aquilo mais do que normal. E, tem mais, sabia que ele acordava e pegava opique da coisa.
Uma vez me disseram que, quando o Lula era muito gordo (uns 40 quilos acima) ele tinha uma doença que lhe cortava algo no cérbro e daí acontecia o lance. Não era o fruto de uma noite mal dormida, e o fez até na presença de clientes.

Jonga Olivieri disse...

Pô, Tavim, você só pensa em Pôquer. Pô quer? Ai, essa foi horríííveeel, reconheço.

jr disse...

Espero que como mulher não caia de pau no atendimento e nos clientes como os homens do blog.

Redatozim disse...

Calma jr, que recalque risos prometo que vou maneirar, mas é que são realmente muito engraçadas algumas coisas que acontecem nessas áreas. No mais, Don Oliva, será que era narcolepsia?

Jonga Olivieri disse...

Se é "narcolepsia"? O nome sugere uma eplepsia provocada por narcóticos... eu não sei o nome do mal que afligia (acho que não o aflige mais) o Lula Vieira. Aliás nunca nem lhe perguntei... sei lá.
... Mariflor, você que é revisora e autora do post, por favor... compareça, esclareça.

Mariflor disse...

Que eu saiba, ele tinha apnéia do sono. Por ser muito gordo, não respirava direito dormindo, tinha o que os médicos chamam de microdespertares por falta de ar. Ou seja, era uma sucessão de noites mal dormidas o que fazia com que ele dormisse durante o dia.
Ah, por falar nisso, jr, vou resistir bravamente quanto a falar mal do atendimento. Mas, vamos e venhamos, é uma batalha inglória...

Jonga Olivieri disse...

Taí, meu cado Readatozim, a resposta da Mariflor, aliás, autora do post.

Saulo Silveira disse...

Patrão é patrão, dorme na reunião é lindo, uma gracinha, ronca bonitinho, acorda e diz "acordei"...vcs batem palmas!!!

Jonga Olivieri disse...

Gostei da consciência de classe, grande Saulo!

Anônimo disse...

Concordo com o Saulo. Em genero, número e grau. rs