segunda-feira, setembro 17, 2007

O “caso” do armarinho

Mais um “caso” de Maurilo Andréas. Desta feita contando uma historinha de um dos mais geniais criativos que jamais conheci...

Jackson Drummond Zuim foi um puta redator daqui das Minas Gerais. Dono de um talento imensurável, de um humor corrosivo e de uma voz de barítono engraçadíssima, Zuim é protagonista de algumas das tiradas mais divertidas que já se ouviu por estas plagas.

Pois trabalhando na Alcântara, agência de Mario e Rui Alcântara que não mais existe, Zuim atendia clientes importantes e acumulava prêmios. Certo dia, Rui adentra a criação e solicita meloso: “Ô, Zuim, to precisando de um nome pro armarinho da minha irmã, me dá uma força nisso aí.”

Assim que o chefe deixou a sala, nosso redator começou a reclamar com seu tom único “putaqueopariu, cidadão, eu cheio de trabalho aqui e o Rui vem me pedir nome pro armarinho da irmã dele!?” E nessa ficou por uns 15 minutos.

Um tempinho depois o Rui passa pela sala e Zuim grita para todo mundo ouvir: “Ô, Rui, arranjei um nome do caralho pro armarinho da sua irmã. Armarinho Seu Butão!” (com “u” mesmo pra enfatizar a sacanagem).

Nunca mais pediram favor nenhum pro Zuim.

19 comentários:

Anônimo disse...

Este tal de Zuim, deve ser (ou ter sido?) uma figuraça. Todos os casos contados com ele são simplesmente impagáveis.
Otávio

Jonga Olivieri disse...

Zuim, que eu saiba ainda é vivo. E aí Maurilo?
Acho que a confa toda está surgindo do texto: "...Zuim 'foi' um puta redator...".
Que eu saiba ele tem uma agência: a Sabiá. Fechou?
O mais provável mesmo é que ele esteja aposentado, tomando uns "golos" num bar próximo da sua casa...
hehehe

Anônimo disse...

Mai uma do Zuim para a minha coleção de máximas dele. Trilegal!

Jonga Olivieri disse...

Zuim (ah, se você o conhecesse!) é uma figura inesquecível. Que o digam os porres que tomei com ele durante aquele ano em que ditigimos o Clube de Criação de Minas Gerais.
E ele é muito engraçado. O Luís Márcio o chamava de "açougueiro da propaganda", dada a sutileza do gajo.
No entanto, acredite, com toda a 'grossura" uma das mentes brilhantes que jamais conhecí.

Redatozim disse...

O Zuim era Jeckyl and Hyde ao mesmo tempo: o gênio e o louco. Digo era porque não sei se ele trabalha com propaganda ainda, mas vivo continua. Aliás, o vi faz cerca de uns 2 meses na Savassi, embora não tenha falado com ele.

Jonga Olivieri disse...

Olha aí, Otávio, a resposta. Aliás, ficaria muito triste se não tivesse este 'happy end'. O Zuim é a minha esperança de que nem todo pinguço morra de cirrose aos cinquenta. pelo menos, garanto, dessa idade ele já passou... Acho até que dos 60...

Anônimo disse...

'Açougueiro da propaganda' é demais. Define bem uma personalidade nua e crua.
Ui, fiquei curiosa e me gusta! Ele é forte?
Mas, antes de mais nada, tens que me explicar quem vem a ser o Luís Márcio. Quem é o gurí?
Jogas os nomes assim, sem mais nem menos.

Jonga Olivieri disse...

Quanto ao resto, deixo você concluir a seu modo e gosto. Estás muito assanhada hoje, chê... hihihi
O Luís Márcio é um amigo (lá, das bandas das Geraes), que foi Diretor de Planejamento quando eu era Diretor de Criação na ASA. Uma grande figura, o Luís chegouy a ser secretário das Minas e Energia, e, posteriormente de Comunicação do governo de Itamar Franco.

jr disse...

Muito bom o caso do Seu butão com U. O Zuim deve ser um figura~o.

Jonga Olivieri disse...

Figurão. Figuraça. Um sujeito muito bacana... é o Jackson Drummond Zuim...

mariana disse...

Tenho que agradecer.... o Zuim... é meu tio e padrinho...passou por uns probleminhas de saúde há pouco, mas já está se recuperando...

Jonga Olivieri disse...

Pôxa Mariana, não sabia que Zuim é seu padrinho. Espero que ele já esteja melhor. Há muito tempo não tinha notícias dele e a última vez que o vi foi na Savassi, porque nos trombamos numa tarde em 1999.
Nem sabia que seu pai conhecia o Zuim.
E você, mora em Beagá ou no Rio?
Mande sempre notícias.

Jamerson Zuim disse...

O Zuim é meu irmão e continua muito vivo apesar de estar falando com dificuldade e passando por problemas de saúde.
Tanto eu quanto ele moramos em BH. Ele mora na Rua Leopoldina, na Savassi.
Aproveitando...Eu estava no hospital com ele e, após operado, sabendo não mais poderia falar, ele escreveu:
- Sem problema...nesta vida eu já falei tudo o que devia e não devia.

Jonga Olivieri disse...

Não o conheço, mas quanto aos seu irmão, tenho por ele uma admiração que todo profissional de publicidade deve ter.
Desejo a ele sua melhor e pronta recuperação.

THALES disse...

Grande General

Nada como sair na Segunfa Feira, pegar um porre e ficar ouvindo o general recitar poesias. cuém !!!!!!!

Saudades

Jacaré

Jonga Olivieri disse...

É isso aí, Thales...

Jurandir Persichini disse...

Trabalhei com o Zuim na 1ª campanha multipartidária de Moçambique, por por volta de 94, junto com o Almir Sales e o Francisco Meira, a empresa mista que montarem lá no Continente Africando - A AFROVOX.

. Numa sexta feira, depois de um dia quente e de muito trabalho fomos - eu o Zuim e um "desenhador" local (arte finalista) perambular pelos bares mal enjambrados da Maputo.Cidade que havia sido totalmente saqueada e descaracterizada em sua guerra entre irmãos. Uma cidade sem energia elétrica, sem vida e sem opções. Mas que ainda mantinha um pouco do charme da antiga Lourenço Marques colonial. E nós estávamos lá para levantar a moral da população com nosso trabalho de propaganda política e tentar soerguer o espírito de cidadania.
Sem perda de tempo entramos logo numa cantina cheia de cadeiras e mesas quebradas. Fechamos os olhos à realidade, que poderia nos tirar todo nosso entusiamo a um trago e perguntamos ao jovem maltrapilho que se apresentava como garçom. Fizemos pose como estivéssemos num "boulevard":
Tem cerveja?
Claro que tinha... para nós, estrangeiros, brancos e relativamente bem vestidos.
Mas o gajo foi logo avisando: "olhas aqui como não temos geladeira a cerveja fica ali na terra e jogamos água para esfriar um pouco. Então, vai querer uma Laurentina?
Laurentina era uma antiga cerveja fabricada lá mesmo pelos portugueses que um dia foram donos daquele Pais.
Traga logo então, meu jovem!
Quando veio a cerveja, uma garrafa bojuda de um litro e meio, o Zuim, já trêmulo de sede, foi logo pegando na Laurentina e balbuciou com sua voz tonitroante: "vou experimentar e depois passo meu veredicto procês".
Menino, numa só golada, como se estivesse num campeonato o Zuim sorveu tudo. E, em frações de segundos deu um arroto, olhou prá nós e disse: "Presta não!"
Como assim, Zuim? essa cerveja tem gosto de que?
"Sei não!"
Moço, traga outra cerveja pra nós!
"Tem não, senhor, aquela era a última.
Caçamos noite inteira uma Laurentina pra beber. E nada! O Zuim bebericou todo o esqtoque num só gole.
No outro dia fomos á um pub tomar sorvete. Você já viram fazer sorvete sem energia?... bem, aí é outra história.
tenho saudades do Zuim!

Jonga Olivieri disse...

Meu caro Jurandir. Seu comentário é mais um "caso" ou causo mesmo do Zuim, Só ele poderia ter vivenciado isto da forma que o foi.
Bom, só quem o conheceu sabe disso.
Queria até lhe pedir para recontar este caso, claro que lhe dando o crédito de autoria. E a única forma que temos para isto é nos falando por aqui.
Gde abraço!

Anônimo disse...

Caro Jonga,
Leio seu blog na tarde de 7 de março de 2013, depois de receber o link de um amigo da turma do CPOR71. Fomos colegas do saudoso ZUIM no serviço militar e ele deixou entre nós a imagem de um amigo brilhante e um companheiro sem igual. Ficamos sabendo hoje (veja só!) que ele faleceu em julho de 2011! Tínhamos notícia da luta dele contra o câncer, da retirada de suas poderosas cordas vocais, mas não ficams sabendo de sua morte. A tristeza da notícia nos faz lembrar de seu impagável bom humor, pois disse a alguém, durante o tratamento: Depois da doença, minha vida mudou do vinho pra água.
Só mesmo o Zuim.