sábado, janeiro 19, 2008

Trem danado de bão

Sou mineiro por osmose. Casei com uma mineira há 35 anos, morei lá por duas vezes, num total de quase cinco anos. Isso fora as muitas idas e vindas a Belzonte para passar natais, aniversários e feriados, coisa que tem diminuído com o passar dos anos, mas foi muito intensa em determinada época.

Mas, deu-me vontade de falar de Minas porque outro dia recebi um comentário da Mariana Cajaíba, filha do Jacob, que foi meu diretor de criação na Salles, e, claro, era mineiro. Pra variar. Além disso, fiquei sabendo por ela que é afilhada do Jackson Drummond Zuim. Sim o famoso Zuim que tanto admiro como profissional; de tantas andanças pelos bares de Beagá nos tempos do Clube de Criação, cujas reuniões (de diretoria) eram regadas a muito chope gelado e golos de pinga (1).

A última vez que vi o Jacob Cajaíba, estava acompanhado do Zé Alberto da Fonseca, o Luís Márcio Vianna e o mitológico Newton Silva. Ele passou ao nosso lado, sentou na mesa e levamos um longo papo. Era um grande profissional, na época havia voltado para a Salles de São Paulo, e estava de férias em Belo Horizonte.

Tenho muitos amigos naquelas montanhas mágicas das Gerais. E o maior respeito pela publicidade que se faz por lá. Por isso mesmo, me orgulho de um cartaz que está bem à minha frente, e que foi impresso quando do lançamento do I Anuário do Clube de Minas, do qual tive a honra de ser jurado. Lá está a minha foto entremeada à de mais de 50 outros profissionais que também fizeram parte do júri.

Minas, tem sido a fonte de inspiração para muitos e muitos “casos” que lá vivi, ou que me foram contados ao longo de minhas estadas por aquelas paragens. Mas, quero mesmo agradecer à Mariana ter despertado essas lembranças dos bons momentos que ficaram em minha memória. E que são um trem danado de bão!

(1) Existem vários “casos” sobre o Zuim e o CCMG em postagens anteriores neste blog.

sábado, janeiro 12, 2008

Nota triste

Quando comecei em publicidade, na McCann-Erickson, já estava lá o Augusto Barreiros, profissional respeitado e experiente. Durante muitos anos, Augusto trabalhou naquela agência, tendo passado por ele muitas gerações de profissionais.

Recebi um comunicado de seu falecimento no último domingo. Pediram-me para divulgar que a missa de sétimo dia será no dia 14 de janeiro, às 17h30m na Igreja N. S. da Paz em Ipanema. Com certa tristeza o estou fazendo.