terça-feira, outubro 20, 2009

Carta de um grande amigo

Postei com grande prazer a matéria sobre e do Saulo, pois o texto foi de sua autoria. O número de comentários foi muito grande. Daí ele enviou-me esta bela carta (eletrônica, of course) que eu transcrevo aqui, em que agradece a todos e fala de tempos que os novos não conheceram, pois vivem estes instantes de um capitalismo, bem mais selvagem do que o capitalismo sempre foi!

Meu amigão,
Agradecimentos.

Amigos, estou imensamente grato e emocionado, com o carinho e amizade de todos, tão confuso e abstracto, que ainda nem sei com que cores e agradeço a todos, mas a arte é a busca das coisas simples, feita com o coração, portanto simplesmente... obrigado.
Amigo, a gente sempre sente uma agoniada saudade daqueles bons tempos, passávamos o dia todo em camaradagem e confiança no trabalho, lembramos sempre de todos os amigos, dos almoços, quando fazíamos uma pausa e nos divertíamos com as brincadeiras dos colegas... dizem que este ambiente não existe mais... há pássaros e animais que entram em extinção, também a espiritualidade a camaradagem no trabalho estão entrando em extinção...

Amigão, obrigado, se achar bem poderia publicar o meu comentário.
Abraço grande.

20 comentários:

Anita disse...

Que carta linda, simples mas com conteúdo. O Saulo é um artista mesmo, pela sua sensibilidade nota-se.
E quando se refere a saudade dos 'velhos tempos' talvez tenha razão mesmo. Não conheci, mas devia ser bem mais saudável.

Anônimo disse...

Ja havia dito que o quadro do Saulo tinha tornado a sua pagina mais bonita.
Agora esse texto ilustra com palavras quem e o Saulo.
Eu tambem agradeco a ele pelo que disse.
Abracao tambem Saulo.

Anonymous
New York

Jonga Olivieri disse...

Olha Anita, o Saulo sempre foi um sujeito assim. Muito gente! Muito amigo.
Lembro dos tempos do Rio quando trabalhávamos na L&M, ele ainda garoto, estagiário, seu jeito de ser amigo.
Depois em Portugal, já mais maduro, a sua hospitalidade. Para ficar em hotel com a família, quando íamos nos fins de semana tinha que avisá-lo que já chegara e estava em tal lugar. E mesmo assim, ele ainda queria nos tirar de lá para ficar na casa dele.
E tem um senso de humor muito leve e é sempre bem humorado.
Um grande cara!

Jonga Olivieri disse...

Se pudesse teria deixado lá sempre. Porque você tem toda razão Mr. "A"...
Mas, infelizmente tenho que estar a postar novos "casos" & coisas.
Um dia desses eu coloco outro quadro dele só pra desanuviar e dar alegria e layout a esta página.

Popeye disse...

Saulo está provando que sabe usar bem as cores. Até nume carta isso fica bem claro.
parabéns Saulo. Parabéns.

redatozim disse...

me disseram outro dia que as agências de publicidade perderam a alegria, saulo e oliva. às vezes eu concordo.

Jonga Olivieri disse...

Saulo ´mestre das cores fortes e vivas. Repare nos quadros dele.

Jonga Olivieri disse...

Já eu acho que perderam mesmo, Redatozim.
Você até pegou um finzinho daquela época de ouro m que agência de publicidade não era "careta".
Mas eu garanto que antes disso era muito melhor. Sei lá... Hoje é difícil encontrar um pouco daquele velho ambiente! Nem dá pra explicar, apesar de que eu sempre tento passar aqui nos "casos" o clima de então...

André Setaro disse...

Jonga,

Seus 'causos' são exemplares!

Jonga Olivieri disse...

Obrigado, André.

Anônimo disse...

Viva a sensibilidade! Viva o Saulo!
Ernani

Jonga Olivieri disse...

É isso aí. Saulim é mineiramente sensível... De facto!

Anônimo disse...

Belíssima carta do Saulo.
Cantídio

Jonga Olivieri disse...

Por isto mesmo a publiquei.

Lígia Sacras disse...

Olá Jonga, foi o Saulo que me disse que vc. estava com este blog sensacional,onde pude nos últimos tempos relembrar muitos colegas,mas agora gostaria de dizer que esse grande parceiro de profissão com quem convivi em Lisboa por 12 anos e meio,merece muito o espaço na pintura alcançado pelo imenso talento,luta e persistência, e o reconhecimento no seu blog.No site do Saulo há outra história muito bem contada por ele,'O caso do Ó no copo',que eu sugeria, se possível,que acompanhasse a próxima participação dele. Que saudades da Açorda de Camarão e do Arroz de Mariscos que comemos tantas vezes juntos,comendo e sonhando,comendo e reclamando,comendo e planejando,na Marisqueira Luminosa,na Av. Almirante Reis!Parabéns, Jonga pelo imperdível e histórico blog!Lígia.

Jonga Olivieri disse...

Lígia, pode conferir em 3 de agosto de 2007, que este caso já foi publicado. Aloás eu o adorei, acho uma historinha sensacional.
Quanto ás saudades dos quitutes lusitanos, principalmente os frutos do mar, estou de acordo com você, em genero, número e grau. Huuummm!

Manuela disse...

Não conheci o Saulo "desses tempos"... mas vivi tempos desses na publicidade em Lisboa. Recordo-os com saudade: loucura total!!!
Tenho o previlégio de conhecer o Saulo de Agora, o Amigo, o Irmão, a Pessoa sensivel que faz bolinhas de barro para, com a fisga, fazer pontaria às pinhas e aí encontrar seu momento zen. Depois, abre o coração numa explosão de cor e... Acontece... naturalmente seu trabalho lindo. Como ele diz, nas suas veias correm rios de tinta...
Ele fala de si Jonga, com saudade, e dos amigos, e da "bela vidinha"...!

Parabéns por este seu trabalho Jonga, é muito interessante.

Manuela C.

Jonga Olivieri disse...

Sim Manuela, nas veias do Saulo correm tintas de cores vivas como os seus quadros.
O Saulo é um amigo sincero. O convívio com ele sempre foi bom.
Por isso mesmo presto esta homenagem a ele.
Obrigado pelos elogios ao meu blogue. Continue leitora. Isto vale muito.

Maria Celia Olivieri disse...

Que linda carta amigo Saulo, lembra de mim? eu te conheci em Lisboa quando fui com Jonga. Concordo com vc , hoje não existe mais aquele calor humano que existia nas agencias de publicidade, pois a tecnologia é fria, torna as pessoas mais distantes umas das outras.

Eu sou a Cecé, irmã do Jonga e com muito orgulho,
bjs no seu coração que é lindo demais.

Jonga Olivieri disse...

Acho que está dado o recado.