quarta-feira, outubro 14, 2009

Mensagem a Tavinho

Recebi do parceiro Fernando Simões o “caso” a seguir. Referente a tempos em que trabalhamos juntos na Focus Propaganda.

Sempre que abro o meu e-mail e encontro algo novo que você enviou leio de imediato. Leio inclusive os comentários e um, em particular, chamou minha atenção porque classificava suas postagens como sendo do tipo “olha só quanta gente importante eu conheço”.

É provável que o amigo (Tavinho) se for publicitário, seja ainda um jovem com um brilhante futuro pela frente, futuro esse que lhe dará, a possibilidade de vir a conhecer, quem sabe, muito mais gente importante que você.
As agências de publicidade trabalham para empresas nacionais e internacionais poderosíssimas veiculando suas mensagens em meios de comunicação que custam verdadeiras fortunas e onde rola muito dinheiro e a presença de pessoas importantes é pura decorrência.

Na Focus onde eu e Jonga trabalhamos, era comum a presença de, por exemplo, Fernanda Montenegro e o marido, o saudoso Fernando Torres, Chico Anísio que usava em seu programa o “Volto logo. É VAPT-VUPT” – que surgiu numa brincadeira dentro da agência entre o Chico e o pessoal da Criação –, Sergio Chapelein, Roberto Moricone, Carlos Drumond de Andrade, Ziraldo, Redi, Volpi, Scliar (1). O pintor Manuel Costa com seu talento e maravilhosos quadros a óleo fez parte da equipe de criação da Focus. Para nós ele era o “Amapá” por ser esse seu estado natal.
Muitas das artistas que se tornaram famosas no cinema e na televisão, fizeram suas primeiras fotos como modelos com a nossa equipe.

Publicidade é isso. É riqueza. É beleza. É cor. É luz. É gente bonita. Criativa. É a atividade que comprova, a cada segundo a frase de Leonardo da Vinci. “Criação se resume a 10% de inspiração e 90 de transpiração”. E é, principalmente, competência! Em publicidade quem não a tem não se estabelece. Seja feliz Tavinho.

(1) A nota é minha, mas a Focus, agência de Alfredo Souto de Almeida (que foi ator em filme de Humberto Mauro), era, para além de publicitário, radialista, conhecendo em seu programa de cultura na Rádio Mec muitos dos mais expressivos escritores, pintores, autores, diretores, atores e outras personalidades da inteligentsia brasileira. No caso de Fernando/Fernanda, ele era padrinho da Fernanda Torres, tendo o casal tambem apadrinhado o seu filho Marcelo.

15 comentários:

Jonga Olivieri disse...

Antes de mais nada, gostaria de dizer ao Fernando que o Tavinho (Otávio) é um antigo comentarista deste blogue, e, embora por vezes possa parecer não é publicitário.
Somente para esclarecer este aspecto de sua excelente postagem...

Anita disse...

E mesmo assim o Otávio não tem sido tão assíduo.
Mas gostei muito da postagem do Fernando. Gente! o que voc~es conheceram de gente ali dá um livro! Fiquei maravilhada!
Só aquela do Chico Anysio é pra passar para a história.

Jonga Olivieri disse...

Lembro-me de sempre ver pessoas conhecidas (hoje: celebridades ou famosos) nos corredores da Focus.
De vez em quando o Alfredo ia com alguns deles à criação, porque todos curtiam ir lá.
O Chico era um, que, por seu senso de humor gostava da gente de criação, onde podia-se sentir o senso com que sempre enfrentávamos a pressão (de prazos) do dia a dia e comentíamos as nossas brincadeiras, porque nada melhor do que o riso como terapia de relaxamento.

redatozim disse...

Gente famosa eu não encontro nas agências por onde passo, mas cobrador atrás de mim sempre tem.

Jonga Olivieri disse...

O problema é que cobradores não aõ famosos.
Mas acabam deixando a gente numa má fama, que sai da reta...

Popeye disse...

A Focus é uma agência desconhecida, mas aconteceram muitas coisas dentro dela.
Só essa do Vapt-Vupt é para entrar para a história.

Jonga Olivieri disse...

Sem dúvida...

Leonardo disse...

Muito bom! E o Drummond, deixou alguma coisa por lá?

Jonga Olivieri disse...

Drummond deixava sempre alguma coisa importante pela sua própria presença.
Você ver um mito frente a frente é algo indescritível.
Todavia, Drummond sempre foi um tímido, um ser discreto... Sem dúvida um gênio, no entanto, nada exibicionista.

Anônimo disse...

Ma logo eu?
Otávio

Jonga Olivieri disse...

É Tavim, o Fernando captou a sua mensagem no "caso" do disco... Agora quer tirar o corpo fora, sô!

Anônimo disse...

Pergunto ao Fernando: será que o Chico Anísio já não tinha usado esta frase quando brincava com vocês?
Ernani

Anônimo disse...

Isso não era uma agência de publicidade. Era um Vaudeville! Rssssss
Camilo

Jonga Olivieri disse...

Esta foi engraçada, Camilo.

Anônimo disse...

Sem querer ser chato, mas já sendo, a frase “Criação se resume a 10% de inspiração e 90 de transpiração” nao é do Da Vinci e sim do Thomas Edson. Tá lá no "Manual do Professor Pardal" da Disney. É só conferir! :)

Carlos Menezes