sábado, outubro 03, 2009

Veja o quadro, leia o texto


O quadro, vendido na exposição mede 150 x 250 cm

Conheci Saulo Silveira na L&M, agência de publicidade em que trabalhei de 1976 a 1979. Cerca de vinte anos depois, quando morava em Portugal, nos encontramos novamente.
Além de ilustrador publicitário ele pintava desde os tempos de Brasil. Começou a expor e foi crescendo neste segmento. Como os negócios encolheram em publicidade, acabou optando mesmo pela pintura. Acima, reprodução de um quadro seu.
O texto a seguir foi escrito por ele para a exposição na Galeria Alberto Sarmento, publicado no seu blogue (link ao lado e no final da postagem) em 30 de outubro de 2007.

“Tive em tempos um espaçoso atelier em Copacabana, no Rio de Janeiro. Quando terminava de pintar, costumava colocar três telas grandes na parede, para analisá-las de todos os ângulos, confrontando-me com a minha pintura - eu na sala, eu nos quadros, num exercício dialético de auto-conhecimento, na rota de grandes descobertas.
Naquela época, eu tinha uma empregada doméstica chamada Eva, um pouco analfabeta, que gastava o tempo soletrando as palavras da Bíblia, enquanto ia preparando a comida mineira lá da roça, feijão tropeiro, canjiquinha, frango com quiabo, santa cozinheira de mão cheia do interior das Minas Gerais, o meu estado natal.
Depois de muito analisar as telas, eu chamava a Eva para dar a sua opinião de erudita e crítica de arte sobre aquela recente produção. Fazia-lhe duas perguntas, sempre as mesmas:
- Qual o quadro que você acha melhor? Qual o quadro de que você gosta
mais, que lembra a sua terra, dá saudade da família?
Na primeira pergunta, a Eva atrapalhava-se toda, olhava um quadro, o outro, o terceiro, com duas bolas nos olhos, assustada e confusa. Na segunda pergunta, ela iluminava-se com rapidez e ria feliz, indicando logo um dos quadros, num genuíno gesto de sinceridade.
A arte é o que nos emociona, faz brilhar os olhos, toca o coração. A arte não se explica, nem a minha nem a da Eva na cozinha.”

Veja mais quadros do Saulo em http://saulosilveira.blogspot.com/

20 comentários:

Anita disse...

Que beleza de quadro. Aliás que beleza de quadros os do Saulo Silveira. Fui no blog dele e fiquei maravilhada.

Jonga Olivieri disse...

O trabalho do Saulo encanta pela força com que usa formas e cores.
Abstrato é difícil, menina. Um Manabu Mabe, um Bandeira ou um Saulo só aparecem de vez em quando...

Leonardo disse...

Divino! Maravilhoso!
E o texto é hiláriante! Valeu!

Jonga Olivieri disse...

Este é o Saulo.
Comprovem o sucesso que está fazendo na Europa. Ele hoje vende até na Rússia.
É mole?

Anônimo disse...

O cara pinta muito.
Ernani

Popeye disse...

Uma pintura espontânea mesmo.
Até porque você definiu muito bem ao dizer que o abstrato é muito difícil.
A gente vê cada merda por aí.

Jonga Olivieri disse...

Sim, Ernani/Sailor man. Concordo plenamente.

Anônimo disse...

Deixa o quadro ai. Ficou muito bonita esta pagina. Serio.

Anonymous
New York

Jonga Olivieri disse...

Você tem razão, Lewis...

Jonga Olivieri disse...

Luis, claro. Mas como moras num paós de língua inglesa é Lewis mesmo.

(a) Jack (quer dizer Jonh, ou João mesmo)

Anônimo disse...

E vi que são quadros grandes. Pintar assim só com o espaço de um atelier daqueles mesmo.
Otávio

Jonga Olivieri disse...

Eu assisti algumas vezes o Saulo pintar seus quadros grandes (em sua casa em Lisboa).
Mesmo antes de ter aquele atelier (numa Quinta), o Saulo grampeava as telas desmontadas numa folha grande de compensado.
E soltava o pincel. Cara, era algo admirável.

maria disse...

Sensacional o trabalho do Saulo. Ele está de parabéns.

Jonga Olivieri disse...

Como diria o português (de Portugal, claro!): atônoé!

Anônimo disse...

Conheci o Saulo e ele sempre foi muito bom.
Bom ilustrador, bom pintor, bom caráter e bom colega e amigo.
Ele merece este sucesso na Europa, porque este mineiro vale quanto produz: qualidade. Sempre e cada vez melhor.

Jonga Olivieri disse...

Disse tudo e disse bem, caro Anônimo.

maria disse...

Mas o que é atônoé meus Deus? Fiquei tentando adivinhar o que possa ser e não consegui.

Jonga Olivieri disse...

Desculpe, Mary, devia ter traduzido, mas significa "então não é?".

Anônimo disse...

Saulo é fora de série. E ficou melhor ainda quando começou a trabalhar com autônomo fazendo frilas para as agências.
Me lembro de suas inturas aqui no Brasil que já eram excelentes. Mas ao dar uma volta pelo site dele, achei ainda melhor.
Camilo

Jonga Olivieri disse...

Sempre ase superar. Este é o Saulo...