sexta-feira, fevereiro 05, 2010

Um amigo que deixou saudades

RIO - Ronaldo Graça Vianna Santos (1936-2010) nasceu no Rio de Janeiro, onde foi desenhista da Rio Grafica Editora, diretor de cinema de publicidade, roteirista de cinema - O Flagrante, de Reginaldo Farias -, diretor e autor de teatro. Dirigiu filmes de publicidade que marcaram época, como o do Tigre da Esso, "Coca-Cola, isso é que é", biscoitos Sem-parar, Sardinhas 88 e AMIL. Em 1980, obteve o 1° lugar no Concurso de Dramaturgia do Instituto Nacional de Artes Cênicas com a peça "Malhas do Casulo". Em 1991 mudou-se para Paris, onde desenvolveu uma carreira de artista gráfico, roteirista e desenhista de História em Quadrinhos. Participou de grandes campanhas publicitárias - Eurodisney - e trabalhou para grandes editoras - Fayard - como criador de capas de livros. Era responsável exclusivo pelas capas de duas coleções de romances populares publicadas em Paris e na Costa do Marfim, África. Morreu em Paris no dia último domingo, dia 11 de janeiro. Deixa mulher e dois filhos menores. Do primeiro casamento deixa dois filhos maiores entre eles, o ator Xando Graça, e quatro netos. Seu corpo será cremado no Crematório do Cemitério Père Lachaise, em Paris, no dia 18 de janeiro. Suas cinzas serão transferidas, em fevereiro, para o Rio de Janeiro.

O texto acima foi extraído do Jornal do Brasil e resume o Ronaldo Graça profissional que se dedicou a tantas atuações no mundo das artes. Sim, porque Ronaldo foi um profissional diversificado em suas funções, mas, antes de mais nada extremamente dedicado em todas elas.

Mas quero falar, principalmente do amigo Ronaldo Graça. Amigo de quem tenho grandes recordações por décadas de convívio. Sempre um convívio saudável. Talvez o tenha visto nos corredores da McCann, quando lá estagiei. Mas o certo é que vim a conhecê-lo mesmo na L&M, quando foi para aquela agência com a função de ajudar e orientar as duplas de criação no processo de produção de comerciais para TV, dada sua experiência na área.

Mais de 10 anos depois, o encontro na VS Escala. Ali como ilustrador. Excelente por sinal. Neste período, começamos a desenvolver uma amizade maior. Por características de sua personalidade, sempre que lhe passava um trabalho, havia um papo sobre o clima da ilustração, numa época em que este tipo de trabalho era importantíssimo para a venda de uma ideia. Conversávamos muito nestas ocasiões. E ele acrescentava, contribuía para que o trabalho saísse da melhor forma possível.

Às sextas a criação da VS saia para almoçar em grupo. Eram verdadeiras orgias degustativas, do churrasco na Plataforma a outras opções. Mas aos poucos fomos cada vez mais nos aproximando da culinária japonesa. Como eu lembro do Ronaldo perguntando: “E aí, sushi sashimi hoje?” E lá íamos nós para o Kampai, excelente “japa” ali na praia de Botafogo. Eram muitos pratos deliciosos bem regados a saquê.

Fui para Portugal em 1990 e o Ronaldo mudou-se para a França no ano seguinte. Estava no Porto quando a Eliana se encontrava grávida da Maria, a primeira filha do casal. Foram passeios inesquecíveis naqueles dias em que passaram naquela cidade. Por outro lado, quando fomos a Paris, ele nos recebeu com um “Guia Michelin” debaixo do braço. E como rodamos museus e locais imperdíveis da cidade luz. Chegávamos no hotel à noite com os pés doloridos de tanto andar, mas com a sensação de ter conhecido muita coisa. Dos quinze dias que lá passamos, em pelo menos seis o Ronaldo saiu conosco.

Desde que voltei para o Brasil, encontrei o Ronaldo (e família) todos os anos. Em sua casa, na minha, na festa de aniversário que fazia para os seus filhos antes de voltarem a Paris. E, curiosamente no almoço anual do pessoal que trabalhou na Rio Gráfica. E digo curiosamente porque eu nunca trabalhei lá. Mas era um grande prazer encontrar aquela turma de ilustradores, muitos dos quais eu conhecia do mercado e outros que fiquei a conhecer depois.

É muito difícil falar de um amigo em momento de dor. Para mim ele foi como um "irmão" mais velho e gostaria mesmo de estar combinando um próximo almoço. Mas, são coisas da vida. Como a saudade que ele deixou em mim e tantos outros que o estimaram.

16 comentários:

Anita disse...

Tive muita curiosidade de conhecer melhor este Ronaldo de que você falou na postagem anterior.
Aliás não publicou o meu comentário.

Anônimo disse...

Ronaldo Graça foi de tudo um pouco no mundo da comunicacao.
Estava afastado do Brasil mas tinha um trabalho muito interessante e criatvo.

Anonymous
New York

Jonga Olivieri disse...

Desculpe Anita, mas acabvei não publicando somente o proimeiro comentário na última postagem. Estava agurdando esta.

Jonga Olivieri disse...

Exato. E tudo o que fez, fez bem feito. E isto é o mais importante.

Anônimo disse...

Sentimos quando se vão pessoas queridas. Principalmente aquelas que com sua amizade contribuem para nos enriquecer interiormente.
Cantídio

Jonga Olivieri disse...

Sem dúvida. Apesar da distância, sempre estavamos em contato e quando vinha ao Brasil ia muito vê-lo, bem como saíamos e conversavamos bastante.
Sentirei falta deste convívio.

Leonardo disse...

Como o seu amigo realizou coisas. De uma versatilidade muito grande. Que Deus o tenha.

Jonga Olivieri disse...

Sem dúvida alguma o Ronaldo fez muita coisa no campo das artes e da publicidade.

Rodrigo disse...

Eu gostava muito do Ronaldo e tenho saudades dos momentos em que ele me encontrava e dizia Pastéeeel! Eu falava um monte de besteiras pra ele na VS e ele comentava com o revisor, o Edilson Cantalice: esse Rodrigo é mesmo um pastel. Puta ilustrador, puta diretor, puta ser humano.

Jonga Olivieri disse...

Acho que o Ronaldo Graça foi tudo isso. Era um sujeitoa amigo, antes de mais nada...
Valeu a pena conhecê-lo.
Aliás, não é por estar na sua linha de papo neste instante, mas as pessoas ricas por dentro, como ele, como Paulinho ou como você são sempre inesquecíveis.
Os mortos e os vivos, claro!

Saulo Silveira disse...

Estou lendo o teu texto Jonga, com um nó na garganta, assustado e sentindo como é duro perder um amigo.
Ronaldo do coração grande, sempre amigo, deixa saudade.

Jonga Olivieri disse...

Foi duro Saulo.
O Ronaldo foi cremado na França, mas enterraram as suas cinzas aqui no Rio.
Eu e vários amigos estivemos lá.
Foi um acontecimento sofriod e bonito em que a saudade do velho amigo e "irmão" mais velho aumentou.

Marise Araujo disse...

Jonga,
Um abraço apertado e a lembrança tão agradável daquela tarde no Porto com o Ronaldo e vocês.Marise

Jonga Olivieri disse...

Foram momentos inesquecíveis. Como o Ronaldo, querida amiga...

br.eliana disse...

Querido Jonga,
Afastada da net por esses tempos, na tinha ldo seu post. Sei que nao me cabe agradecer a amizade que se criou entre vocês mas para nossos filhos, seus filhos e eu é muito importante participar dessa corrente de amor que se criou em torno dele.
Um abraço,
Eliana

Jonga Olivieri disse...

É isso aí Eliana. Você como companheira, esposa e amiga dele sabe que ele foi um ser humano digno desta menção.