terça-feira, maio 18, 2010

Qualquer semelhança...

... não é mera coincidência.
Neste caso, a imagem de um cartaz de Saul Bass, um dos maiores Diretores de Arte de Hollywood, em um dos filmes mais conhecidos do cinema “Anatomy of a murder” (1958) de Otto Preminger, que muito embora tenha sido realizado há mais de 50 anos, é uma referência até os dias de hoje.
Agora surge este “Quincas berro d’água”. Nada contra o filme. Mas quem criou (ou copiou) esta programação visual? É muito igual... Igual demais, gente!

14 comentários:

Popeye disse...

Coisa mais óbvia. Será que não poderão ser processados pela produtora do filme?
Creio que apesar dos mais de 50 anos ainda fica muito evidente o plágio.

Jonga Olivieri disse...

Olá, Sailor Man, você talvez tenha razão, pois a coisa é tão evidente que chega a ser desvergonhada!!!

Cinara Medeiros Marinho de Andrade disse...

Nao deve ser considerado "Plagio"?
Nada sugestivo...

Jonga Olivieri disse...

Creio que, apesar do "domínio público"... Sei lá, não entendo tanto de leis a ci=oisa está tão explícita que será fácil derribar esta "mamada"!

Jonga Olivieri disse...

Cê acha é Cinara?!
Pelo contrário scho que tem tudo a ver com uma "chupada" braba!

Jonga Olivieri disse...

O caso é que o princípio é o mesmo do Mestre Saul Bass. reparem as mãozinhas... São abolutamente iguais, eu diria decalcadas.

Anita disse...

Isso é uma chupada, né mermo?

Jonga Olivieri disse...

Como poucas que vi!

Ieda Schimidt disse...

Fiquei curiosa em ver a tua postagem aqui também e passei por este seu blog.
Bom. guri, pelo menos tu cercaste a informação.

Jonga Olivieri disse...

No que lehe sou muito grato gaúcha.

maria disse...

E dizer que tem gente que escreve para dizer qu não considera isso um plágio. Ôxem!

Jonga Olivieri disse...

É por aí, menina!

ZéGui Vereza disse...

Com essa onda de Chico Xavier, Saul Bass deve ter baixado em alguem muito cara de pau.

Jonga Olivieri disse...

Terrível, ZéGui. Eu estou revoltado porque por mais que se diga que não foi chupado, foi.
Nesses casos não custa assumir a mamada, como fiz naquele cartaz da Paixão de Cristo, que quando criei, ou melhor me 'inspirei e chupei' todos já sabiam. A começar pelo Paulinho Costa, meu diretor de criação na época...