domingo, junho 27, 2010

Ritmos do Jazz em Prosa & Imagens


Desenho em crayon s/ papel de minha autoria

Antônio Torres vai realizar uma oficina interessante na Casa do Saber. Segue abaixo a programação e mais detalhes que recebi e transcrevo aqui:

"Esta é para quem quer treinar o texto literário e gosta de boa música e boa prosa: Antônio Torres ministra a oficina Ritmos do Jazz em Prosa & Imagens. Serão quatro reuniões em torno do conto O perseguidor, de Júlio Cortázar, ao som de Charlie Parker e imagens dos filmes Bird, de Clint Eastwood, e Round Midnight, de Bertrand Tavernier.

A partir da leitura desse longo conto, considerado universalmente a obra-prima de Cortázar, esta nova oficina do escritor Antônio Torres será mais do que um mergulho num texto. Oferecerá uma viagem em torno dos ritmos em prosa e verso, ilustrada por imagens cinematográficas de uma era do jazz em Nova York e Paris, e das origens e desenvolvimento do conto como gênero literário, que teve em Cortázar um dos seus mais instigantes cultores.

E com espaço para leitura e análise dos textos criados pelos participantes.

Perseguidor do impossível
Na sua juventude, em Buenos Aires, Júlio Cortázar adorava ouvir no rádio Duke Ellington, Louis Armstrong e os velhos cantores de blues. Já consagrado como um dos mais brilhantes escritores do século XX, quando ficava horas a fio falando do pianista Thelonious Monk, ele viria a escrever um conto dedicado à memória de Charlie Parker, tendo como personagem um saxofonista genial, mas perseguidor do impossível."

Oficina Literária Ritmos de Jazz em Prosa & Imagens
Maiores informações na Casa do Saber (Rio de Janeiro):
Início: 6 julho
Duração: 4 encontros
Terças-feiras, às 19h (06/07, 13/07, 20/07, 27/07)
Valor: R$ 200,00 na inscrição + 1 parcela de R$ 240,00
Tel.: (21) 2227-2237
E-mail: inforio@casadosaber.com.br

sábado, junho 19, 2010

Festas & festas

O mês passado foi o pessoal da velha guarda da VS... Apesar de que é importante ressaltar que nem todos são velhos. Mas assim nos referimos à turma que trabalhou na Maria Eugênia 123. Para nós, sem sombra de dúvida a melhor época daquela agência.
Acabamos tendo um encontro por causa da Silvana Grendene que veio de São Paulo passar um feriadão aqui no Rio. No final marcamos no Quiosque do Português no Leblon, e estivemos lá a Lucia Matuschka (chefe de estúdio), a Silvana (ex-secretária do Lula e produtora do programa Intervalo), a Patrícia Aguiar (RTVC e diretora de filmes), e eu. Foi uma festa pequena por fora e grande por dentro. Quero dizer: compareceram poucas pessoas mas nos curtimos muito.
Alem disso, ficaram os planos para mais um encontro, já que muitos ex-colegas daquela agência que rebatizamos de Maria Eugênia 123, estão dispostos a realizar um evento maior. Tomara! Até porque já tivemos bons encontros, que agora renomeamos de “VS Forever” com mais de 30 pessoas e os dois últimos, com a galera mais recente foram verdadeiros fiascos.

E já que falei da VS, houve nesta semana o encontro da C”... Tambem conhecida como ‘Contemporânea’, cujo nome completo, aliás, era ‘Comunicação Contemporânea’. Mas, aqui entre nós, C” é bem mais curto e simpático...
Este foi no Mamma Rosa, um restaurante que pode ser considerado como um ponto de referência para a C”, que durante muitos anos esteve no Cosme Velho e foi organizado por Gisa Ferman, que, curiosamente entrou na agência bem na época em que eu saia. Sim porque trabalhei nesta agência no seu início, ainda na Urca, de fevereiro de 1984 a agosto de 1985, quando fui para Beagá assumir a direção de criação da Asa.
E tivemos a presença do Armando Strozemberg e do Calazans, ambos diretores de uma agência em que as pessoas realmente se gostavam.
É bom lembrar que a C” tem no Facebook uma página chamada Uma vez C” sempre C” que tem fotos antigas e atuais da mesma.

São duas agências nas quais gostei de trabalhar, pelo ambiente que nelas havia, pela descontração quase que permanente que não existem mais nas empresas do ramo encaretadas destes tempos “pós modernos” em que vivemos.

terça-feira, junho 15, 2010

O "caso" do Banquete


Este caso foi escrito em setembro de 1999, e postado anteriormente neste blogue com o título de “O ‘caso’ do Pato Laqueado” em 2006. Vale a pena republicá-lo... E vale a pena reler.

A VS Escala instituiu um prêmio de incentivo que consistia no seguinte: a pessoa que ganhasse o título de melhor, mais empenhado e os escambal funcionário do mês, tinha direito a um jantar em qualquer restaurante à sua escolha. Depois, o contemplado trazia a notinha fiscal e a contabilidade reembolsava. E tanto era uma idéia do caralho, que, em homenagem ao Lula e sua lingua solta, o prêmio foi batizado de "Prêmio Ducaralho", assim mesmo, do jeito que ele se expressava quando via um anúncio ou uma campanha da gente que o agradasse.

Bom. O prêmio ainda era conferido no final de uma festa mensal (cuja produção, a cargo da Léa Penteado era de fazer inveja a qualquer chef de hotel da C’ôte D’azur) que tinha direito a tudo, inclusive show de sapateado do Fernando Farah.

A coisa era esperada por todo mundo com muita ansiedade, pois somente no último minuto da festa, no apagar das luzes, o Valdir, o Lula ou o Carlão anunciavam o grande vencedor. E o felizardo já ficava a imaginar onde iria jantar bem, mas bem "pra caralho" mesmo, como já dizia o nome do prêmio.

Eu me lembro que quando eu ganhei, fui com a Virgínia no L’Argent, então o melhor restaurante francês do Rio, e degustamos em grande estilo um daqueles Menus Complets, com direito a sorvetinho entre um prato e outro, queijinhos no final, e outras coisas que a gente não encontra sempre no fast food mais próximo.

Daí, houve o mês que o Manolo ganhou. O espanhol ficou exultante. Pulava de alegria. E era alegria mesmo. A mais pura, porque o afinal de contas, o Manolo era um dos fundadores dos Alcoólicos Anônimos. Soltou uma das suas mais famosas frases em portunhol do tipo: "crejo que gané el dia honestamente", e se mandou.

Dois dias depois, uma daquelas polvorosas inesquecíveis. Gente xingando pra lá e pra cá. O Aías espumando pelos corredores, o Lula, o Carlão se dirigindo para a sala de reunião. Um auê de proporções apavorantes. "Será que perdemos a conta do Citibank?". "Será que a Fleishmann Royal vai deixar a agência?", perguntei aos meus botões. Aquele ti-ti-ti danado na agência. Cada um dizia uma coisa. Cada um especulava alguma história mais escabrosa.
Finalmente. Convocação de toda a criação para reunião na sala do Lula.

"É, o bicho pegou", concluí com os meus botões. Enfim, fomos todos mais do que rápidamente para lá, saber o que afinal de contas estava se passando.

O Lula, com aquele jeitão calmo e irônico que lhe é peculiar, tomou a palavra e começou a explicar pra gente que a partir daquele momento, prêmio "Ducaralho", só para o casal. Que, decisão da diretoria, em hipótese alguma poder-se-ia levar mais que a esposa, companheira, namorada, a mãe, o pai, ou seja lá o nome que tenha a única pessoa que o(a) acompanharia. E aí contou a história do "pato laqueado", que, garantia o Manolo, era caro daquele jeito porque tinha que ser encomendado de véspera, que é um prato especial, etc, etc. E, concluíram todos que o Manolo tinha levado a família, a vizinhança e o papagaio para o restaurante chinês.

Dois meses depois, o prêmio "Ducaralho" passou definitivamente para a história da VS e da propaganda carioca.

quinta-feira, junho 10, 2010

Um diretor inesquecível

Conheci e trabalhei com o Carlos Manga em alguns filmes (comerciais para TV), e posso dizer que foram experiências que somente acrescentaram e me fizeram apurar os horizontes.
Estar numa mesa de reunião e ouvir os seus casos sobre cinema e TV, era algo fascinante e engraçado, dado o seu fino humor e ironia ao narrar acontecimentos vividos por ele, sempre ligados a fatos que fazem parte da história da comunicação neste país, desde os anos 1950 até os mais recentes.

Num dos filmes que realizamos com ele, com a grande maestria do experiente artesão cinematográfico que sempre foi, o diretor reproduziu com detalhes os cenários de “Janela Indiscreta” de Hitchcock. Era um comercial para o Procel (1).

Posto aqui uma entrevista --em duas partes-- que ele fez que dá um apanhado de sua carreira (ver vídeos), como diretor de filmes na Atlântida, onde realizou o que, sem dúvida foi a maior ”chanchada” de todos os tempos: “O homem do Sputnik” com Oscarito, Grande Otelo e grande elenco, encabeçado por Norma Bengell e trazendo um estreante gorduchinho chamado Jô Soares.
A entrevista em duas partes, se estende à sua atuação na TV e na publicidade (quando tive contato com ele) e era, ao lado de Cyll Farney --famoso galã de cinema dos anos 1960-- um dos diretores da Tycoon, sua empresa produtora.

As entrevistas abaixo foram realizadas pelo Canal 16 da Net/Rio (Universidade Gama Filho) e apresentadas por Bruno Meier para o programa “Mosaico”.
http://www.youtube.com/watch?v=m8MqBj2o-cI
http://www.youtube.com/watch?v=bG93c0s0MDk&feature=related

(1) Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica

segunda-feira, junho 07, 2010

Mais dois blogues

Léa Penteado em sua bicicleta no litoral da Bahia
Este mês está sendo de poucos “casos” e muito blogues. Já anunciei aqui o da minha prima Bárbara, publicitária, cinéfila. “A memória é uma ilha de edição”, cujo título é por si só um teaser de sua criatividade, e já está aí ao lado nos Links deste blogue.
Depois veio o de meu amigo e um dos melhores redator/diretor de criação que conheci ao longo destes tantos anos de janela, o José Guilherme Vereza (veja o engraçado caso na postagem anterior), ZéGui para os íntimos, ou aqueles que o tratam com o carinho que ele merece.
E o endereço para acessá-lo, tambem já está aí, marcado nos Links...

Mas agora tem o blogue da Léa Penteado, esta jornalista, promoter, Secretária da Cultura de Santa Cruz de Cabrália e que foi minha colega na VS Escala, ainda na Maria Eugênia, 123, a melhor fase daquela saudosa agência carioca. E uma das razões de ter sido assim pelas maravilhosas festas que promovia todos os meses na agência; que só quem esteve lá sabe o quanto eram bem organizadas e saborosas.
Seu blogue é “Léa Penteado. Memórias, reflexões e pensamentos de uma jornalista.” http://leapenteado.com/

E para além deste, o do Kleber Nina, tambem um “VS Forever Friend”, uma figura inteligente, preparado através de MBA’s e muitos pós e pós-pós MBA’s. Mas antes de mais nada caracterizado pelo seu humor finíssimo e apurado, e que hoje tem o blogue “Sobre Humanos. E Outros Nem Tanto” http://sobrehumanos.com/
Confiram...

quinta-feira, junho 03, 2010

Tricotando... Coisas da vida!

Ao acessar o blogue do ZéGui, meu amigo e ex-diretor de criação na VS, para comentar sua postagem (1), fui surpreendido com uma burocracia (não sabia que as mulheres tambem eram tão burocratas!) que levou-me a ter que fazer login para uma turnê entre o site delas e minha caixa postal por diversas vezes num vai e vem dos diabos... Ufa Zézinho, uma verdadeira maratona!

O mais engraçado, no entanto, foi a resposta que me surpreendeu ao voltar inocentemente para minha caixa postal.

“Olá, joao carlos alves olivieri
Que bom ter você aqui com a gente. :)
Entre e fique à vontade. A casa é sua! O Bolsa é um espaço único para você desabafar, trocar idéias, conviver entre amigas, aprender e ensinar muito.
Aqui você tem a sua página pessoal com blog, fotos, amigas, correio, fóruns e um monte de coisas bacanas para você montar um cantinho todo seu. No Bolsa você também encontra reportagens, ferramentas, jogos, vídeos, cursos, pode receber notícias pelo celular e muito mais.
Convide suas amigas clicando em http://minha.bolsademulher.com/perfil/jongolivieri/amigas/ e mantenha sua página pessoal sempre atualizada clicando no link http://minha.bolsademulher.com/perfil/jongolivieri/ .
Todo mundo quer te conhecer.
Lembre-se: Seu apelido é jongolivieri.
Se quiser entrar em contato com a gente, escreva para producao.2010@bolsademulher.com.
(Aí a parte boa)
Um beijo enorme,
Andiara Petterle
CEO - Bolsa de Mulher”

Obrigado, Andiara, pelo “beijo enorme”, e, claro um outro procê, viu?

(1) O link para o blogue do ZéGui é:
http://blog.bolsademulher.com/JoseGuilhermeVereza/

terça-feira, junho 01, 2010

Um blogue que vale a pena

Minha prima Bárbara Pedro Alves é uma jovem e promissora criativa publicitária. Seu blogue A memória é uma ilha de edição já está marcado aí ao lado faz mais de uma semana. Mas fica aqui a nota e a sugestão para que dêem uma espiadela lá.
O link é http://bpartdesign.wordpress.com/
Bom proveito!