quarta-feira, janeiro 26, 2011

Uma homenagem tardia, porém sincera


Trabalhei com Mozart dos Santos Mello na L&M (onde ele era o "M"), agência de saudosa memória, onde para além de trabalharmos muito (e bem) nos divertimos bastante e conquistamos muitos (e bons) prêmios.
Já o conhecia porque comecei em publicidade na McCann-Erickson, onde ele tambem iniciou suas atividades em propaganda no ano de 1955, como redator, vindo do jornalismo, e era então o Supervisor Geral de Criação e Planejamento de Campanhas, e realizou cursos de aperfeiçoamento na sede daquela importante agência (1) nos Estados Unidos.

Sei de sua trajetória após o fechamento da L&M, quando fundou a MM&C, agência de curta duração, porém marcante na publicidade carioca. Santos Mello também passou pela MPM e SGB. Nesta última assumiu a Presidência Executiva. Após sua aposentadoria da propaganda, trabalhou como perito para assuntos de Direito Autoral e Propriedade Industrial.

Natural de Campinas, Mozart estava com 82 anos quando veio a falecer nesta cidade do Rio de Janeiro no ano de 2010. Mas só vim a saber do triste acontecimento bem depois por intermédio de um amigo em encontro casual quando andava pelo centro da cidade.

Presto aqui, mesmo que tardiamente uma homenagem a ele --que sempre dizia ser parecido com o ator hollywoodiano Cary Grant. Realmente Mozart era de uma elegância sem par. E escreveu com letras de ouro seu nome na publicidade do Rio de Janeiro.

(1) A McCann, naqueles tempos era de uma importância muito grande no Brasil, sendo a segunda maior do país.

sábado, janeiro 15, 2011

Propaganda é a alma do negócio

Clique na imagem para ampliá-la
********
Ainda não distribui, mas já imprimi e estou com a versão web (acima) do meu composite pronta.

Antes de mais nada, o publico neste blogue. Criei uma peça simples, com uma foto de uma série feita pelo Hamdam na frente. No verso, começo com uma de um layout meu em que fui modelo por acaso devido à falta de um dos dois que havíamos contratado.
E mais três fotos, sendo que uma delas com um apelo cômico em que, fazendo palhaçada coloquei o pente como um bigode à la Groucho Marx.

Bem, está aí a minha iniciação como modelo de terceira idade. Se vocês conhecerem alguma agência, indiquem. Penhoradamente agradeço.

sexta-feira, janeiro 07, 2011

Vamos começar 2011 sendo solidários

Pelo menos quatro amigos me enviaram este apelo aí em cima. Acho que não é necessário acrescentar mais nada a não ser AJUDE.
Caso deseje aumentar para uma melhor leitura, clique na imagem.

terça-feira, janeiro 04, 2011

Uma marca exemplar

Poucas vezes vi uma logomarca tão criativa –até pelo conceito tridimensional— quanto a dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

Criada pela agência carioca Tátil (1), uma empresa de design, faz-me voltar a ter orgulho da publicidade carioca, hoje em plena decadência, entregue às continhas de varejo que nos sobraram.

Quero aqui transmitir aos criativos, que a criaram sob o comando de Fred Gelli, os mais sinceros parabéns. E... que não deem tratos a bola àqueles que os acusam de plágio. Na verdade a logomarca de uma ONG estadunidense citada por alguns, parte do mesmo princípio, mas não é tão boa quanto ela.

(1) http://www.tatil.com.br/

segunda-feira, janeiro 03, 2011

Ainda da importância do humor na propaganda




Outro dia postei neste blogue uma matéria sobre o humor na propaganda, principalmente na televisiva.
Não que tudo tenha que ter humor, mas quando o assunto permite. Garanto que o recall de um comercial bem humorado é bem maior...

Falei, na ocasião sobre dois comerciais de carros e o de um banco. Mas juro que me esqueci de um das Havaianas que me faz rir todas as vezes que o vejo.
A “historinha” é a seguinte: Uma fila enorme para ingressar numa festa. De repente um gerente fala algo assim:
-- Ninguem entra de havaiana!!!
Um gajo que está bem na frente pergunta:
-- Mas quê que é isso!? Eu sempre vim de Havaianas...
-- Não me refiro a isso – responde o gerente – eu digo quem está de havaiana!
Lá atrás aparece um sujeito vestido de havaiano, com direito a sarongue e os cambal que põe a cabeça para fora e exclama apontando para si mesmo:
-- Quem? Eu???
-- Sim você! Exclama o gerente.
-- Eeeeuuu?
E o gerente confirma.
E o tal sujeito vai embora meio sem jeito e resmungando.
Corta para assinaturas do produto.
...........
Não é por nada, mas vale a pena assistir um comercial desses!