quarta-feira, janeiro 26, 2011

Uma homenagem tardia, porém sincera


Trabalhei com Mozart dos Santos Mello na L&M (onde ele era o "M"), agência de saudosa memória, onde para além de trabalharmos muito (e bem) nos divertimos bastante e conquistamos muitos (e bons) prêmios.
Já o conhecia porque comecei em publicidade na McCann-Erickson, onde ele tambem iniciou suas atividades em propaganda no ano de 1955, como redator, vindo do jornalismo, e era então o Supervisor Geral de Criação e Planejamento de Campanhas, e realizou cursos de aperfeiçoamento na sede daquela importante agência (1) nos Estados Unidos.

Sei de sua trajetória após o fechamento da L&M, quando fundou a MM&C, agência de curta duração, porém marcante na publicidade carioca. Santos Mello também passou pela MPM e SGB. Nesta última assumiu a Presidência Executiva. Após sua aposentadoria da propaganda, trabalhou como perito para assuntos de Direito Autoral e Propriedade Industrial.

Natural de Campinas, Mozart estava com 82 anos quando veio a falecer nesta cidade do Rio de Janeiro no ano de 2010. Mas só vim a saber do triste acontecimento bem depois por intermédio de um amigo em encontro casual quando andava pelo centro da cidade.

Presto aqui, mesmo que tardiamente uma homenagem a ele --que sempre dizia ser parecido com o ator hollywoodiano Cary Grant. Realmente Mozart era de uma elegância sem par. E escreveu com letras de ouro seu nome na publicidade do Rio de Janeiro.

(1) A McCann, naqueles tempos era de uma importância muito grande no Brasil, sendo a segunda maior do país.

14 comentários:

Blotta disse...

Mozart foi o mais fino exemplo de uma época em que a publicidade tinha elegância e savoir faire. Um "cavalheiro com cérebro" como diria David Ogilvy. Tive o prazer de trabalhar com ele na SGB e me tornar seu amigo. Foi um grande mestre, mesmo sem nunca ter tido a pretensão de ser. Muitas saudades...

Jonga Olivieri disse...

Meu caro Blotta. Convivi bastante com o Mozart durante os três anos em que trabalhei na L&M.
Também no meu caso, o aprendizado foi constante, dia após dia.
O fato é que ele conhecia a propaganda brasileira desde que ele começou, nos anos 1950, justamente quando ela também começava a despontar no Brasil.
Uma trajetória...

Anita disse...

Mas o Mozart era bonitão mesmo.

Jonga Olivieri disse...

Anita, acho que me expliquei mal, a foto postada é do Cary Grant (himself).
Mas o Mozart tinha um "quê" daquele ator. Não era um clone.
Mas fiz uma justa homenagem àquele, que segundo dizem, "arrebentava" os corações femininos por aí...

Cantídio disse...

Não conheci o Mozart pessoalmente, mas seu nome certamente foi conhecido em todo o mercado publicitário do Rio de Janeiro.

Jonga Olivieri disse...

Eu creio que até em São Paulo ele foi conhecido. Claro que em outros tempos, pois o Mozart esteve em muita evidência até ós anos 1980.
Depois do encerramento da MM&C (1982 ou 83) ele se afastou bastante do mercado.

Anônimo disse...

Conheci o Santos Mello. Era um grande profissional alem de ser um lider carismatico. Ele sabia envolver as pessoas, o que eh fundamental para um Diretor Criativo.

Anonymous
New York

Jonga Olivieri disse...

Santos Mello merece todo o respeito!

Ernani disse...

Impressionate como esta garotada que hoje está no poder ignora os seus antecedentes.
Estamos vivendo uns tempos difíceis em que a profissão tornou-se mais efêmera do que nunca. Eles mesmos, esses jovenzinhos estúpidos que estão mandando e desmandando nas agências não ficarão com raras excessões nelas durante muito tempo.
No nosso tempo respeitavamos os profissionais mais velhos pela experiência que tinham e podiam nos ensinar.
Sinal dos tempos mas hoje o Mozart seria execrado como velho. Deixa pra lá! Eles naõ sabem o que estão perdendo.

Jonga Olivieri disse...

É isso aí Ernani...

Popeye disse...

Sem dúvida um nome para história.

Jonga Olivieri disse...

Sem dúvida, José...

alexandre costa disse...

Eu tive a honra e a sorte de trabalhar com Mozart dos Santos Mello desde meus 16 anos, praticamente comecei minha vida trabalhista na grande e inesquecivel L&M propaganda, comecei como office boy e logo ganhei a confianca e a amizade deste grande ser humano, passei a ser seu braco direito na parte financeira, e acompanhei sua tragetoria pelas inumeras agencias que cruzaram seu caminho profissional, deste legado cultivei um grande carinho e uma amizade solida com este homem que tinha um coracao enorme, era explosivo, distribuia raios e trovaos quando irritado, mais um grande profissional e um grande amigo dos seus amigos, hoje moro na Florida, a ultima vez que tive a oportunidade de escutar sua voz, foi em 2006 em uma conversa telefonica, e quardo uma viva lembranca de suas palavras, um adeus tardio, mais para mim, de suma importancia dar este depoimento sobre este maravilhoso amigo, boa viagem Mozart, aonde quer que esteja, quem sabe nos encontraremos discutindo sobre os velhos "casos" que gostava tanto de nos brindar, abraco saudoso amigo velho!

Jonga Olivieri disse...

Grnade comentário, Alexandre, mas nós que convivemos com esta figura exemplar que foi o Mozart sabemos o seu valor real na vida de cada um de nós.