quinta-feira, dezembro 15, 2011

Vamos vestir esta camisa!

Com a camiseta na Avenida Presidente Vargas
Ontem, pela primeira vez, sai com a camiseta da “campanha anti/anti/tabagista”. E foi grande a emoção de terminar a impressão e prensagem dela, estar devidamente vestido com o slogan da nossa ação!
Havia duas semanas que eu começara a circular com os adesivos nos maços de cigarros. Mas acontece que a mídia é fraca... Limitada a quem está do seu lado, num bar, numa casa... Onde mais? Surgiu a ideia de printar uma camiseta. Genial! E barata, custou entre o produto expositor e custos de impressão mais prensagem exatos R$ 23,00. Mas hoje mesmo cheguei à conclusão que o custo total de uma camiseta pode ficar em R$ 18,00.
Mas enquanto isso, queria falar um pouco da experiência de circular nas ruas, no metrô, nos ônibus. Em suma, pela cidade afora com uma chamada inusitada, diferente do que aceita o stableshiment.
Para início de conversa, pensei em existir até um certo perigo. Julgava que as “viuvinhas” iam cair de pau em cima da ideia, mas me esqueci que a direita não trabalha com a cabeça, mas com a ignorância. Tal e qual o general “Nacionalista”(1) que durante a Guerra Civil Espanhola bradava aos quatro cantos; “Abajo la inteligência, viva la muerte!”.
Por outro lado, foram-me dirigidas várias manifestações de solidariedade. As que mais me marcaram foram as do vendedor de um “sebo” na Avenida Passos que sorriu e disse: “Isto é o que sinto!”. Outra foi a de dois rapazes com que cruzei na estação Estácio do metrô e que me abriram os braços exclamando “Pensamos a mesma coisa... Parabens!”.
De resto foram olhares de soslaio, risinhos e coisinhas assim! Mas aprovei de tal forma a ação que estimulo aos companheiros de empreitada que as façam sem temor!

Esta imagem está no seu formato original. Copie, cole e imprima
1. A Guerra Civil Espanhola dividiu-se de um lado em Republicanos, aqueles que defendiam a res pública recem implantada e os Nacionalistas que representavam a oligarquia agrária e a insípida burguesia local.

15 comentários:

Joelma disse...

Apesar de ser uma ex-fumante vou aderir a esta campanha. O maço não me serve mais, mas a camiseta vou tentar...

Jonga Olivieri disse...

Parabens!!!

Mário disse...

Ficou bonito né?

Jonga Olivieri disse...

Bonita ficou a camisa, eu... Tem jeito não, sô.

Cantídio disse...

Um publicitário sempre está atrás de uma nova campanha de sucesso! Ha! Ha! Ha!

Jonga Olivieri disse...

Sem dúvida. Ainda mais esta que não é feita para um capitalista qualquer, mas apenas visando defender uma parte da sociedade altamente discriminada...

André Setaro disse...

A Revolução Russa começou com uma briga de lavadeiras. Pioneirismo revelador, consciência e bravura. Há muito gente que está de acordo, mas tem receio de se manifestar. Vamos em frente.

Jonga Olivieri disse...

Os recentes protestos no Egito e outros países do Oriente Médio*, provaram que massas mobilizadas podem mudar o curso da história.
É justo que as pessoas evitem fumar me locais fechados e transportes públicos, em cinemas, teatros, etc e etc.
Mas agora nos EUA os fascistas** querem proibir o fumo nas ruas... Absurdo!

(*) Exceção feita à Libia, onde os interesses do capitalismo internacional quiseram -e conseguiram- derrubar Kadafi apenas por interesses domínio no mercado petrolifero.

(**) Os Estados Unidos são o berço do fascismo após a II Grande Guerra. Obama é um governante negro que faz o jogo da direita... Será da KKK?

Anônimo disse...

Isto é desobobediencia civil.
Anselmo

Observatório disse...

Jonga, estamos mergulhados em uma maré facista sutil, que esconde os venenos existentes nas prateleiras dos supermecados e a impiedosa indústria automotiva - contra as quais nada se fala. Já fumei, mas me sinto revoltado ao ver fumantes serem tratados como seres pestilentos por uma sociedade hipócrita e bestificada pelo poder da mídia. Força para sua campanha, difundida por aqui pelo prof. Setaro!

Anita disse...

Ficou bonito na foto, hem?

Jonga Olivieri disse...

Será???

Jonga Olivieri disse...

Obrigado Anita "Ximenes"...

Rodrigo disse...

Enquanto não inventarem o cigarro sem fumaça, a polêmica continuará.

Jonga Olivieri disse...

É isso aí Rodrigão.
Eu, este "velho cachimbeiro" voltei pro cigarro só por assistir 'in loco' as atitudes "escrotas" assumidas contra a Vi... E, fumo só para provocar... Não trago!
Às vezes ponho um cigarro na boca num vagão do metrô (claro que apagado) e se vêm reclamar comigo eu A-DO-RO, porque respondo na bucha: " (...) é proibido fumar, não portar um cigarro apagado!"
No entanto, insisto, continuo a achar que o pior mesmo é o carro/ônibus/caminhão com fumaça. Estes sim, por culpa do "exterminador" Henry Ford estão acabando com a vida na Terra!