segunda-feira, janeiro 30, 2012

Um fotógrafo chamado Sebastião Barbosa


Conheci o Tião em finais de 1976, quando fui dirigir uma foto para um anúncio que havia leiautado na L&M. Seu estúdio era na Joaquim Murtinho em Santa Teresa. Aliás, naqueles tempos da publicidade, tinham muitos fotógrafos naquele bairro.
O fato é que gostei do resultado e passamos a fazer muitas fotos. Foram anos e décadas de muita produção em conjunto, atravessando muitas agências e períodos de freelance...

Sebastião sempre foi um fotógrafo inovador. Havia conquistado prêmios e prestígio com fotos criativas e até polêmicas, como aquela em que fotografou a “última ceia”, composta exatamente como a famosa pintura de Da Vinci com uma mulher pelada em cima da longa mesa. E continuou a ser criativo quando fotógrafos perderam o filão das agências de publicidade, elaborando fotografias e viajando nos “espelhos dágua” de seu sítio em Petrópolis.

Foto premiadíssima
Ontem foi à sua nova, e, segundo ele, última exposição. E posso assegurar que, partindo desta premissa, Tião fechou com chave de ouro uma longa trajetória expondo fotos.

Segue abaixo o texto do press-release informativo sobre o seu trabalho:
   
“A exposição apresenta um panorama de experimentações fotográficas – imagens e câmeras – produzidas pelo artista Sebastião Barbosa nos últimos dez anos. Com uma carreira de mais 50 anos dedicada à fotografia – do fotojornalismo ao surrealismo – Sebastião empenhou os últimos 10 anos na construção de câmeras de madeira que fotografam através da técnica pinhole, onde um pequeno orifício permite a entrada de luz, técnica esta utilizada para a obtenção das primeiras imagens fotográficas no século XIX. Estarão dispostas na galeria as câmeras e suas respectivas fotos proporcionando ao visitante o dimensionamento do processo de produção daquelas imagens. Todas as fotografias foram produzidas em paisagens do Rio de Janeiro e de Paris.
Dentro de sua pesquisa com os meios primários de fotografia, Sebastião nos apresenta ainda nesta exposição uma torre composta por mais de mil latas de diversos formatos e origens, recolhidas nas ruas do Rio de Janeiro e de Paris. Tratam-se de latas que tiveram sua finalidade original descartada (guardar biscoitos, bebidas, presentes, etc.), e foram garimpadas em lixos e feiras livres pelo fotógrafo, devidamente adaptadas e transformadas em câmeras fotográficas. “Estas latas tem uma história afetiva. Fazer delas câmeras é devolvê-las um sentido, uma dimensão estética”, diz Sebastião Barbosa.

O trabalho gráfico em painéis de Joana, sua filha,
a partir de suas fotos


A exposição Sebastião Barbosa, fotógrafo, é patrocinada pela Oi, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Estado do Rio de Janeiro, realizado pela Oi Futuro e pela Incentiva, com produção de Felippe Schultz Mussel.
Em março de 2012, dentro da Coleção Arte & Tecnologia também patrocinada pela Oi, será lançado o livro Sebastião Barbosa, fotógrafo, inédita publicação que abarcará toda a trajetória de Sebastião, com textos do fotógrafo Wilton Montenegro e da pesquisadora Ana Maria Mauad, com organização de Felippe Schultz Mussel.”

Como última informação, a exposição está na “Oi Futuro Ipanema” (Rua Visconde de Pirajá, 54 – ao lado da Estação do Metrô) de terça a domingo das 16 às 21h com entrada gratuita, e ficará até o dia 25 de março.


8 comentários:

Anita disse...

Claro que eu sei quem é Sebastião Barbosa. A começar pela conhecidérrima foto da mulher no Fusca que você publicou aqui. E também sei por exemplo, que ele trabalhou na Manchete, morou em Paris, etc e tal!

Jonga Olivieri disse...

Sim. o Sebastião é bastante conhecido no mercado publicitário...

Ana Paula Duarte disse...

Maravilha. Vou ver essa exposição!

Jonga Olivieri disse...

Pois vá, Ana Paula, você vai conhecer o grande trabalho de um excelente fotógrafo e um sujeito sério e trabalhador.

Cantídio disse...

As experiências do Sebastião neste particular de divulgar a fotografia desde um prisma do início desta arte é muito interessnate numa época em que tudo é volátil e as pessoas não dão um real valor às conquistas ou mesmo ao passado, mesmo que recente.

Anônimo disse...

O trabalho de Sebastiao Barbosa e conhecido ai no Brasil e em muitos paises.
E um fotografo premiado. E fotos como a polemica "Santa Ceia" citada por voce ou esta do Volkswagen reroduzida nesta postagem mostram o seu talento, como voce tambem disse: inovador.
Pena eu nao estar ai para poder visitar eesa exposicao.

Anonymous
New York

Jonga Olivieri disse...

As experiências do Tião têm demonstrado a força da fotografia. Os cursos que deu em diversas cidades mostrou o processo fotográfico 'comme il est' em suas origens.
É mais ou menos como uma pessoa que aprende a desenhar figuras estudar anatomia...

Jonga Olivieri disse...

Por exemplo: o Sebastião tem uma foto de Dom Elder Câmera que é histórica...