domingo, fevereiro 05, 2012

Sul América (85 anos) Seguros

Anúncio de lançamento

Quando Luiz Favilla e eu recebemos o PIT da campanha dos 85 anos da Sul América, sabíamos que tínhamos um grande desafio pela frente. Primeiro porque a conta tinha alguns probleminhas com a agência, no caso a Salles.  Não por parte dela... Mauro Salles tinha uma excelente relação com a diretoria da seguradora. Mas porque o então diretor de marketing da empresa, por algum motivo que não sabíamos, queria que ela fosse para uma outra agência, e isso criava uma área de atrito e estresse permanentes.
Segundo porque a campanha teria uma verba colossal e a cobrança e expectativa sobre ela seria tambem proporcional a este investimento.

A primeira coisa que fizemos após uma reunião de briefing foi solicitar que tivéssemos sinal verde para pesquisar na biblioteca deles, localizada no belíssimo prédio sede da empresa na Rua do Ouvidor, em todo o quarteirão que se estendia até a Rosário, contornado pela Rua da Quitanda. Isto, com base em informações que obtivemos naquela reunião acerca da riqueza de materiais e dados sobre a seguradora contidos ali.
O resumo da ópera foi que, dois dias depois transferimos a nossa jornada de trabalho para aquele endereço por tempo indeterminado com todo o apoio do inesquecível Carlos Areias, o atendimento da Sul América Seguros. Mas o tempo não era tão grande assim, pois o prazo da campanha tambem não era tão longo quanto se pense; e duas semanas depois teríamos que estar apresentando as peças, pecinhas e “peçonas”, que, obviamente iam dos filmes e anúncios aos chaveirinhos e canetinhas.

Reportagem em revista
Arregaçamos as mangas entre a poeira de revistas antigas e livros mais velhos ainda... Registro histórico dos 85 anos, quer dizer: vinham do século XIX.
Mas os resultados começaram a surgir daquela garimpagem minuciosa. Descobrimos que, nada menos que Ruy Barbosa foi cliente da Sul América. E o slogan antigo, que logicamente ressuscitamos, e que dizia “firme como o Pão de Açucar”. Criamos logo um anúncio de página dupla de revistas com o senhor doutor  Ruy Barbosa.
Nas revistas conseguimos os dois casos que iriam preencher os filmes de 30 segundos que fechariam a veiculação pesada do trabalho nas mídias impressa e eletrônica. Escolhemos a dedo o diretor dos referidos comercias, e Mário Textor viria a ser o responsável por isso.

Conseguimos apresentar as cerca de 40 peças no prazo estabelecido.Uma trabalheira artesanal de criação e estúdio numa época em que não havia computadores, e que somente quem viveu sabe quanto suor significava.
O único probleminha foi que o tal diretor de marketing, tentou de todo jeito recusar a campanha... Até que um dia, Mauro Salles (himself) as levou debaixo do braço e apresentou ao presidente da empresa em São Paulo. Fim de papo, e campanha pronta para ser veiculada. Depois foram somente as notícias e os prêmios e mais prêmios que faturamos com ela!
   
A propósito, o filme abaixo foi o primeiro da campanha.

10 comentários:

Anita disse...

Juro que fiquei em dúvida se comentava aqui ou no filme embaixo. Por que duas postagens?
Mas acabei postando um coment aqui mesmo. Mas, é claro que sobre o filme abaixo.
Sabe o que mais me impressionou nele? O fato de ter sido produzido há tanto tempo e ele continuar atual. Inclusive a montagem dele, os cortes. Neste sentido parabéns.
E os cuidados da produção? certos detalhes como simples bigodinhos ou a placa do ônibus, aliás lotação, não é? Tudo perfeitinho.
é um prazer assistir um filme assim passados 30 anos.
Sobre as dificuldaddes que você descreve na postagem, foram também um exemplo de superação de problemas as vezes cabeludos. Bom são problemas do dia-a-dia que se enfrentam numa agência de publicidade mesmo.

Jonga Olivieri disse...

As duas postagens foram porque tive alguns 'probleminhas' técnicos com os filmes mais textos. E a melhor solução foi esta.
Obrigado Anita pelos elogios ao trabalho. Aliás, você encontra mais em: http://jonga-portfolio.blogspot.com/

Cantídio disse...

Muito bom (e atual) este filme... Gostafria de ver o outro da campanha.

Jonga Olivieri disse...

O outro filme já está no meu portfólio virtual. Dá uma olhadinha lá Cantídio!

Anônimo disse...

Excelente mesmo.
Jurandir

Anônimo disse...

Fato que nao se pode negar e a qualidade desta campanha, mas nao sabia (ou nao me lembrava) que este filme era seu.
Parabens pra voce!

Anonymous
New York

Jonga Olivieri disse...

Ainda bem que me faço lembrar! Afinal, foi muito suor!

Ana Paula Duarte disse...

O melhor de tudo mesmo é que os anos se passaram, mas de fato o filme não envelheceu.
A propósito, a reconstrução de época está perfeita. O cenário, as roupas, cabelos, bigodinhos. E o (ou é a) lotação? Tudo divino.
AMEEEEIIIIII!

Jonga Olivieri disse...

A direção do Mario Textor foi primorosa nesses detalhes. Esta campanha foi toda bem cuidada. Um primor, diria!

Ernani disse...

Provinha ruim a desse anúncio!