domingo, outubro 21, 2012

O “caso” da ‘virada’ do Balanço


Uma pequena “virada” na Focus Propaganda. Eu estou no fundo à
esquerda em frente ao Fernnado. O redator José Carlos e Marcos na frente
Às vezes é bom republicar “casos” antigos. Como este, postado neste blogue no dia 25 de agosto de 2006...

O que não falta na vida da gente é “virada”. Acho que desde que comecei em propaganda as noitadas acompanham a minha vida profissional. Eu me lembro da primeira. Eu ainda era estagiário na McCann, e pintou uma campanha de um prospect. Foi a minha primeira grande virada. Mas foi também uma festa para mim.
Daí em diante, a coisa virou meio rotina. Chegou a um ponto que uma viradinha qualquer nem era registrada. Para sê-lo, precisava ser uma coisa estupenda. Dessas de você contar e as pessoas exclamarem.

Hoje em dia, quando eu tento lembrar quais foram as grandes viradas da minha vida; fora a primeira, porque esta a gente nunca esquece, eu me lembro de umas duas ou três.
  
Teve aquela na DM9/Rio, que foi de cerca de quarenta e oito horas, e que no final era tanto pastup, tanto pedacinho de papel espalhado pra todo lado, que culminou com o acontecimento, sem dúvida marcante, da Lilian - a tráfego da agência - achando um retalho de composição às cinco da matina do último dia da esticada em meio a um intrincado emaranhado de recortes no chão. Isso, claro, depois de uma hora ou mais agachada no chão, e ciscando pedacinho de papel por pedacinho de papel, na sua persistência nipônica.

Teve também aquela do balanço do Credireal na Asa, em Belo Horizonte. Esta foi de setenta e tantas horas.
E neste, houve uma particularidade. Como foi o primeiro balanço realizado após o Plano Cruzado, além daquela confusão toda de composição pra lá, composição pra cá, ainda tinha dentro da agência o pessoal da "Boucinhas & Não Sei Que Lá Ltda", fazendo uma consultoria e convertendo toda a operação financeira.
Era todo o estúdio da agência - que tinha mais de seis montadores -, e sabe deus quantos freelancers envolvidos na operação. Um tumulto daqueles dignos de não se esquecer para o resto da vida. Uma intrincada operação de guerra que teve por trás, além de mim, o Carlos Areias, que foi incansável e heróico, e o Alexandre, o popular "Pé de Milho", que era o chefe de estúdio.

Mas, aconteceu uma que culminou com um fato muito engraçado. Aconteceu na Sinal, aquela quase house do Banco Nacional.
Foi também um balanço. E, como todo balanço, aquela confusão de números, revisões e outros balacobacos. Não durou mais de 24 horas, mas foi exaustiva e desgastante, até porque nossa equipe era muito enxuta, e não se contratou freelancer algum. O Zé Augusto, que era o nosso produtor gráfico, no final fazia também o papel de boy, saindo madrugada adentro pra ir buscar composição no fornecedor. Uma verdadeira loucura. E foi com o Zé que aconteceu o caso mais engraçado.
Quando terminamos, o dito produtor ainda foi cuidar do material para os veículos. Quer dizer, o trabalho da gente acabou no sábado tipo onze da manhã e o cara ainda teve que se mandar para a Quimigráfica.
Bom, na 2ª feira, a gente na agência, rememorava o acontecimento (isso faz parte de qualquer boa virada), quando chega o Zé.
"E aí, Zé, como é que foi o seu fim de semana?", perguntou um de nós.
O Zé, virou-se pra gente e falou, com uma expressão um tanto quanto azêda:
"Fim de semana? Olha, quando eu cheguei em casa já era sábado de noite. Aí desmontei na cama. Gente, o pior de tudo é que quando eu acordei, eu escutei aquela musiquinha ‘...é Fantástico...’, o programa simplesmente estava acabando.
E o fim de semana dele também, claro!

12 comentários:

Anita disse...

Cada historinha melhor do que a outra, mas a última é "fantástica"......

Cantídio disse...

Coitado! Existe algo com mais cara de final de domingo do que o final do Fantástico?

Anônimo disse...

Ri bastante, principalmente da 'japa' procurando o pedacinho de papel na montanha deles espalhados pelo chao. Que saco. Coisa de que so 'budista' e capaz!

Anonymous
New York

Eustáquio disse...

Viradas. Quantas na vida. Eu atendi varejão muitos anos e às sextas era de arrepiar!
Mas os balanços eram famosos.....

Anônimo disse...

D+
Bruno

Ernani disse...

Quantas e quantas noites, meu Deus!

Anônimo disse...

Conheci o Marcos, nome completo: Marcos Heitor de Camargo Vieira.
Olha, um sujeito "chato" pra caramba. E como todo baixinho, um complexado.

Além disso (por favor, publique este coment) subiu porque passou o primo(Paulo Brocá, que era sócio do Alfredo S. de Almeida) para trás.

Em outras palavras, o "cara" não presta!

A... (trabalhei na Focus)

Jonga Olivieri disse...

Amigo(a) "A"... Sei lá quem é!
Autorizei este "pesado" comentário porque vi que você trabalhou mesmo na Focus Propaganda.
E seu papo bate com o que eu ouvi falar. Essa história do Paulo Broccá, o primo dele, escuto desde que entrei lá...
O Marcos é (ou era?) um cara meio difícil, até porque era baixinho, como diria um colega nosso.
E meio maluco, pelo menos na minha opinião.
A imagem postada é de uma reunião que ocorria todas as quartas e começava às nove da manhã e não tinha hora pra terminar. Era uma "virada" mesmo, por isso a usei como ilustração.
E até, entrando em “juízo de valor”, acho como você que ele não tinha um bom caráter...
Por tudo isso publiquei seu comentário...

Anônimo disse...

O José Carlos já morreu.
O Fernando não sei.
Mas o Marcos, até onde eu saiba, ainda anda por aí, enganando os outros, seja uma mulher, um amigo ou um cliente, se é que lhe sobrou algum!

A... (trabalhei na Focus)

Anônimo disse...

Que ninguém duvide disto que foi dito!
L.

Anônimo disse...

Que fofocada!
Ambrosius

Jonga Olivieri disse...

Anônimo "Ambrosius" (até presumo quem seja)... hehehe!
Bom. Na verdade deixei rolar esta ‘fofoca’ toda, porque na realidade eu concordo com os que estão a 'cair de pau' no sr. Marcos Heitor de Camargo Vieira...
Nem sei se o 'cara' está vivo. Mas aqueles que execrei em vida, continuo a malhar; porque o fato de morrer não os transforma em 'santos'. Aliás, rezam as ‘Escrituras’ que eles vão mesmo arder nas profundezas do ‘hell’...
IMPORTANTE: de agora em diante não serão mais publicados comentários sobre o fato... Quem quiser faça ‘coments’ sobre viradas e outros bichos, mas nem tentem mandar nada sobre Focus e Marcos. Falou?
É is o aí!