quinta-feira, dezembro 18, 2014

O "caso" da mijada


Acho que é um dos casos mais lembrados da propaganda mineira, por isto mesmo não poderia deixar de contar, muito embora não o tenha presenciado. Mas de fato, a historinha é tão famosa que já foi contada das mais diversas formas e até com pessoas trocadas. Talvez, quem sabe, a que vou contar também não seja a verdade verdadeira, mas, pelo menos a ouvi de fontes mais ou menos confiáveis.

Naqueles "bons tempos" da prancheta, cola de sapateiro e do pastup, o Ajuricaba Brasil, que então trabalhava no estúdio da Asa, preparava-se para varar uma daquelas memoráveis “madrugadas inesquecíveis” de anúncios de varejo, quando de repente surge o diretor de marketing da conta que mais uma vez estava provocando aquele habitual tumulto de sexta-feira.

O cliente começou naquela de dar um palpitezinho aqui, outro ali, em suma, cumprindo o papel de todo ‘cliente pentelho e incherido’. Lá pras tantas, este vira-se para o nosso herói e comenta:

- É, cara, acho que se eu morresse, você iria dar uma mijadinha no meu túmulo, não é?

O Ajuricaba, olhou prum lado, olhou pro outro, e calmamente virou-se para o cliente arrematando:

- Que nada... eu detesto filas.


4 comentários:

Anita disse...

Quero mais "causos" do Pedrosa!!!!
Quero mais "causos" do Pedrosa!!!!
Quero mais "causos" do Pedrosa!!!!
Quero mais "causos" do Pedrosa!!!!
Quero mais "causos" do Pedrosa!!!!
Quero mais "causos" do Pedrosa!!!!
Quero mais "causos" do Pedrosa!!!!

Cantidio disse...

Mas Anita, este caso não é do Pedrosa mas também é 'muita bão', né?

Anônimo disse...

Uma das respostas mais ousadas a que ja tive oportunidade de conhecer. E com o cliente. Tai, esse c
Cara eh Bom.....

Anonymous
New York

Tavim disse...

Essa foi SENSACIONAL !